A Banana e a idiotização da criança

-

Que mãe nunca ficou na dúvida sobre proteger ou dar autonomia para as crianças? E se algo de ruim acontecer? Até que ponto soltar ou proteger? Nesse conflito muitas vezes tentamos fazer tudo para os nossos pequenos.

Hoje vamos falar da banana amassada. (Ou não).

Às vezes, parafraseando o Freud, uma banana amassada é apenas uma banana amassada . Mas…

Imagine uma criança que desde bebê sempre recebeu depois do almoço sua banana amassadinha no prato.

Pois bem… e daí?

Pode ser, que ela andando num passeio por uma fazendinha, um parque, ou numa viagem, ela encontre uma bananeira. A dissociação daquilo que ela tanto gosta no prato e daquela árvore é imediata. A criança nessa situação perde a capacidade de relacionar o que ela come com todo o ciclo produtivo e de consumo. Ela não se relaciona com a fruta em si, mas com aquilo que o adulto entrega pronto para ela.

bananas

Entendam, não estou apenas falando da banana, aqui nesse exemplo ela está apenas representando o conflito entre dar algo pronto para a criança, na tentativa de facilitar, proteger e cuidar. Mas facilitar, proteger e cuidar de quem cara pálida?

Do seu tempo? Evitar que a criança se suje? Que suje a casa? Que se engasgue?

Pois bem, cuidados são, claro, muito bem vindos.

Mas, como sempre digo, o melhor que podemos deixar para nossos filhos é a capacidade de resolver seus problemas de forma autônoma, com apoio e orientação.

Evite fazer POR ELE, faça com ele!

Cuidado para não o idiotizar, não o subestimar.

Afinal, quem gosta disso?

Por uma maternidade, mais leve, mais divertida e com menos banana amassada.

(E é claro que não estou falando de bananas).

Assinatura-Vanessa

Compartilhe esse texto