Alimentação Durante a Amamentação

-

Olá meninas!

Hoje vou falar um pouco sobre alimentação durante a amamentação. Muitas mamis ficam na dúvida do que devem ou não comer para que seu leite seja “forte”, quais alimentos causam cólicas no bebê, se podem iniciar um regime enquanto amamentam….enfim, as dúvidas são muitas e espero esclarecer a maioria delas.

Durante a amamentação o ideal é que se tenha uma alimentação saudável, mantendo uma dieta rica em grãos, cereais integrais, frutas e verduras, e alimentos que sejam boas fontes de proteínas, cálcio e ferro. O consumo de gorduras saudáveis é benéfico para o bebê: abacate, azeite, castanhas, sementes e peixes gordurosos como o salmão são bons exemplos. Evite as gorduras saturadas (frituras, manteiga, gordura vegetal).

A produção de leite requer um gasto energético considerável, então a mulher que está amamentando precisa de um aporte maior de energia que é de 500 calorias. Ou seja, se, por exemplo, uma mulher precisa de 2000 calorias para manter o peso, durante a lactação esse valor sobe para 2500 calorias.

Nessa fase é recomendável aumentar o consumo de alimentos ricos em:

– Proteína: carne vermelha, aves, peixes, leites e derivados;

– Ferro: carne vermelha, grãos, verduras escuras;

– Cálcio: leite, iogurte, queijo, salmão, couve, espinafre, gergelim, amêndoas.

Muitas mulheres sentem mais fome na fase em que amamentam, o que faz todo o sentido, já que o corpo trabalha 24 horas por dia para produzir o leite do bebê. Tenha o hábito de realizar lanchinhos nutritivos entre as mamadas com o objetivo de manter a fome sob controle e os níveis de energia mais altos. Ex.: vitamina de iogurte desnatado batido com frutas ou uma torrada com queijo branco ou leite desnatado com granola.

A alimentação deve ser fracionada, são no mínimo seis refeições por dia, ou seja, as três principais (café da manhã, almoço e jantar), os lanches intercalados e uma ceia após o jantar. É muito importante que não pule nenhuma refeição para que haja uma variedade alimentar durante o dia.

A atenção aos líquidos é fundamental, porém seu corpo vai se encarregar de avisar quando você precisa de água: os hormônios envolvidos na amamentação provocam a sensação de sede. O importante é consumir água o suficiente para não sentir sede procurando manter a urina sempre diluída e clara. Mantenha sempre um copo de água por perto antes de cada amamentação. Evite bebidas com álcool e cafeína, pois passam para o seu bebê através do leite. Água, sucos e chás (sem cafeína) são super bem vindos.

Com relação a restrições alimentares, a princípio, não há alimento proibido. Se houver alguma reação negativa do bebê, aí, sim, pode-se suspeitar de sensibilidade ou alergia alimentar a alguma substância ingerida (nesse momento consultar um pediatra de confiança é sempre a melhor opção). Muitas mães observam que, quando comem determinados alimentos, o bebê fica mais inquieto e com sintomas de cólica. Confie na sua observação, se o bebê ficou irritado a troco de nada, pense no que você comeu nas últimas horas e experimente eliminar esse alimento da sua dieta por alguns dias, para ver se melhora. Fique atenta a alguns alimentos como: leite de vaca, amendoim, frutos do mar, carne de porco.

Alguns alimentos podem causar gases no bebê, como, brócolis, repolho, feijão, chocolate, alho, cebola, alguns temperos e produtos industrializados com muito corante e aditivo. Mas isso varia muito, e novamente, para se certificar de quais alimentos afetam o pequeno, basta eliminá-los da dieta por um ou dois dias e observar se os sintomas desaparecem.

Outro assunto super importante e que muitas pacientes me perguntam é se podem iniciar um regime enquanto amamentam e a resposta é NÃO. A verdade é que não é recomendável iniciar uma restrição calórica, já que o organismo precisa de muita energia para produzir o leite materno. O melhor é perder peso aos poucos, através de uma alimentação saudável combinada a uma rotina de exercícios físicos (com a autorização do seu médico). A dieta pode comprometer a produção e a quantidade de leite e, dessa forma, prejudicar a nutrição do bebê.
A amamentação não faz com que você recupere imediatamente o seu peso anterior, mas ajuda bastante, pois utiliza a gordura na produção do leite.

E nunca se esqueçam, não existe leite materno fraco! Toda mulher produz leite com a mesma composição nutricional, capaz de satisfazer as necessidades do bebê!

Meninas, espero ter esclarecido um pouco sobre esse assunto tão importante e fico a disposição para esclarecer suas duvidas. Mandem sugestões para as próximas!!!

*Procure sempre a ajuda de um Nutricionista para receber orientações sobre quantidades diárias de acordo com a suas necessidades individuais.

Michelle Fischer | Nutricionista | CRN 14963

E-mail: michellefnutri@hotmail.com

Compartilhe esse texto