7 Dicas para a retirada das Fraldas

-

Mamães queridas!!! Vamos aproveitar o período do verão e iniciar o processo de retirada de fraldas? Preparadas?

Antes de iniciarmos o processo de orientação à questão prática das dicas, é importante vocês entenderem que fase é essa que a criança se encontra no seu processo de desenvolvimento.

Por volta dos 2 anos, 2 anos e 6 meses a criança apresenta total interesse pelo mundo externo que a rodeia. É como se ela fosse considerada um polvo, agarrando e desejando experimentar tudo! Na linha psicoterapêutica do psicodrama, nomeamos como “fome de atos”!

No âmbito fisiológico, seu esfíncter estriado anal e vesical, como o aparelho fonador estão sendo desenvolvidos. Assim, ela passa a discriminar sons, diz palavras e passa a ter controle de seus esfíncteres.

Imaginando que ela está totalmente voltada para o meio externo, quando vem a sensação de xixi/cocô, ela precisa abrir o esfíncter e dar um “lindo mergulho para dentro”, interrompendo suas ações no externo, autorizando a saída do xixi/cocô. Posteriormente ela volta seu foco para o que estava fazendo, brincando…

Agora, quem disse que é fácil interromper algo gostoso? Quer saber demais? A retirada das fraldas não tem a ver com controle de esfíncter. Se trata muito mais de uma comodidade para os pais. Chocante pensar assim, mas é realidade!

A seguir encontram-se 7 dicas para viabilizar esse processo com sucesso, levando em consideração a fase que a criança se encontra e, principalmente, essa sua postura de interesse pelo meio externo.

1. Uma vez decidido iniciar o processo, mantenha e não volte atrás, para evitar confundir a criança;

2. Criança precisa anunciar que está pronta: diz que fez xixi/cocô, nomeia as sensações, costuma até se encolher em cantinhos estratégicos da casa/escola;

3. Evite interromper atividades, brincadeiras, para levá-la ao banheiro, porque essa interrupção será seguida de resistência;

4. Faça dessa experiência um ritual: ao acordar, antes de sair de casa, entre uma atividade e outra, antes de dormir, etc. Esse ritual deve ser mantido, a criança adquirá o hábito de ir ao banheiro, mesmo sem necessariamente ter xixi/cocô;

5. Estimule e incentive suas conquistas, a faça participar da compra das calcinhas/cuecas, mostre a semelhança com o papai e a mamãe, coleguinhas, primos…;

6. É interessante mostrar para a criança que o que comemos ou bebemos passa por um processo no nosso corpo até sair. Visualizar o alimento gera curiosidade, ex: milho nas fezes, beterraba…;

7. Tenha paciência e respeite o ritmo de seu filho.

Um super sucesso pra vocês e boa sorte!

Juliana Buchatsky Kruglensky | Psicóloga – CRP: 06/86329

 

Compartilhe esse texto