O que é Hebiatra?

-

Você sabia que existe uma área da Medicina especializada na saúde do adolescente? Pois é, muita gente não sabe mesmo, inclusive alguns médicos, mas a Medicina da Adolescência não é tão nova assim: no final do século 19 formou-se um grupo de médicos interessados em estudar os chamados “fenômenos” da Adolescência na Inglaterra. Na América, o primeiro programa de ensino designado para esta área surgiu na década de 1960, e no Brasil, no início da década de 1970.

Há 20 anos tornou-se oficial que todo médico de adolescente deve ser um Pediatra de formação, que, após ter estudado o crescimento e desenvolvimento, as doenças e todas as modificações dos pacientes desde o nascimento até os 20 anos, estuda mais um pouco com o objetivo de atender melhor o pessoal entre 10 e 20 anos de vida – com tendência global de se aumentar a faixa etária para até 24 anos.

Muitas vezes, o paciente já é acompanhado por um médico, geralmente um Pediatra, que o conhece desde pequeno. Então, por que escolher outro profissional para seguimento nesta nova fase? Justamente pela razão de ser uma nova etapa mesmo, aquela criança, seu corpo e sua mente infantis vão aos poucos dando lugar a um ser humano diferente! Tanto que, na maioria dos casos, os pais e nem o próprio adolescente se reconhece mais…

Além disso, o Pediatra geral está acostumado a fazer a consulta com a mãe, pai, avós, tutores, babá, sendo o paciente em si pouco ou nada questionado e sem um papel ativo. O médico treinado para conversar com o jovem pode aprofundar o papo em dúvidas além das físicas, como problemas na escola, com amigos, relacionamentos, hábitos e etc. O profissional Médico de Adolescente firma um contrato de sigilo com seu paciente, em que informações do que foi dito entre ambos só chegará aos responsáveis mediante autorização direta do jovem.

Em outras palavras, o Médico de Adolescente (ou Hebiatra – palavra derivada de Hebe, a deusa da juventude na mitologia grega) é alguém de confiança para o jovem, um adulto treinado para fornecer respostas para as mais variadas dúvidas.

Em toda consulta, damos tempo e espaço aos responsáveis, caso queiram informar alguma queixa e esclarecer dúvidas. A ideia é se aproximar e criar um vínculo com a família toda, que também está passando por uma grande modificação em casa: uma criança está se tornando um adulto! Processo doloroso, que causa muito estranhamento, mas necessário.

Termino minha primeira participação aqui no Mamis na Madrugada com uma dica de música que se encaixa bem, do Nando Reis (“Não vou me adaptar”). Preste atenção na letra. E você entenderá o quanto esta fase é importante! Beijos!

 

Bianca Rodrigues de Godoy Lundberg | Médica de Adolescentes. Faz acompanhamento de rotina dos jovens de 10 a 20 anos de idade em consultório na Vila Clementino, zona Sul de São Paulo, há cinco anos.

Mais informações em www.biancalundberg.com

Compartilhe esse texto