As 7 dicas para amamentação

-

1 – É normal meu bebê mamar o tempo todo?

Sim! Muitas mães acreditam que esse comportamento é devido a uma baixa produção de leite, porém isso nem sempre é real. O estômago do bebê é pequeno e o leite materno é facilmente digerido. Por esses motivos o bebê tem uma necessidade de mamar com mais frequência.

Lembre-se: peito não é só alimento, é também carinho, aconchego, conforto, é estar perto e poder sentir o cheirinho e os batimentos da mamãe!

 

2 – Sinto que meu peito não enche mais como antes. Isso significa que meu leite está “secando”?

Não! No início o corpo produz uma quantidade maior de leite, as mamas ficam bem cheias e endurecidas, às vezes, até doloridas. Com o tempo a produção láctea começa a se ajustar, e o corpo vai produzindo conforme a demanda do bebê.

Lembre-se: peito é fábrica e não estoque e, por isso, a maior parte do leite é produzida durante a mamada!

 

3 – Meu bebê chora muito e as pessoas falam que meu leite não está sustentando, que é fraco. O leite materno pode ser fraco?

Isso é MITO! NÃO EXISTE LEITE MATERNO FRACO! O leite materno tem todas as propriedades e nutrientes que o bebê precisa e a composição do leite vai mudando conforme as necessidades do bebê. É muito importante que a mãe se alimente de uma forma saudável, equilibrada e mantenha uma boa hidratação.

 

4 – Preciso acordar meu bebê para mamar?

Se o seu bebê é recém-nascido e ainda está recuperando o peso do nascimento ou se seu bebê não ganha ou vem perdendo peso, então sim, é preciso acordá-lo para mamar.

Se seu bebê está ganhando peso normalmente e mama de 8 a 12 vezes por dia, provavelmente já mamou tudo o que precisava e está satisfeito, não havendo assim necessidade de acordá-lo para mamar!

Lembre-se: é durante a noite que ocorre o pico da produção de prolactina, hormônio responsável pela produção de leite materno, então, o bebê mamar na madrugada é um ótimo estímulo para aumentar a produção de leite materno.

 

5 – Como faço para aumentar minha produção de leite?

Quanto mais o bebê mamar, mais leite você vai produzir! Veja se a pega do bebê está correta para que o estímulo ao seio materno seja eficiente.

* Amamente seu bebê em livre demanda. Se o bebê for muito sonolento, diminua o intervalo entre as mamadas para que ele mame com mais frequência e, assim, estimule seu peito mais vezes.

* Faça a técnica de compressão de mama que, basicamente, consiste em apertar a mama enquanto o bebê está mamando, como se fosse uma ordenha, fazendo assim com que seu peito seja mais estimulado e o bebê mantenha a sucção.

* Faça ordenhas! Tanto a ordenha manual quanto a ordenha elétrica podem ser feitas depois que o bebê mamar e entre as mamadas. Esse estímulo extra vai mandar a mensagem ao seu corpo de que a demanda está maior e precisa produzir mais leite.

* Não ofereça outros leites! Se for oferecido leite artificial, o bebê vai mamar menos o seu peito diminuindo, assim, o estímulo e consequentemente a produção de leite materno.

Lembre-se: peito é fábrica e não estoque! A maior parte do leite é produzida DURANTE a mamada. Se alimente bem, beba bastante água e tente descansar sempre que possível.

 

6 – Produzo muito leite, meu peito enche demais e meu bebê até engasga. O que devo fazer?

O excesso de produção de leite materno é chamado de hiperlactação.

O primeiro passo para o ajuste de demanda, ou seja, para o corpo produzir a quantidade que seu bebê mama é amamentar em livre demanda, sem bicos artificiais e sem controlar tempo de mamada.

Alguns bebês ficam irritados, se jogam para trás, choram, além de apresentarem episódios de engasgos e tosse. Esse comportamento é devido ao jato forte do leite e pelo excesso de leite na boca.

* Amamente reclinada, recostada ou mesmo deitada, com o bebê por cima de você. Essas posições ajudam a reduzir a velocidade de saída do leite e o bebê tem um controle maior do fluxo que entra na boca, podendo, assim, se organizar melhor.

* Antes de amamentar, ordenhe uma pequena quantidade de leite. Isso diminui o jato forte inicial e amacia a mama facilitando, assim, a pega.

* Coloque o bebê para arrotar sempre que perceber que está irritado.

* Amamente no mesmo peito por 2 ou 3 mamadas seguidas. Assim, o bebê conseguirá mamar o leite mais posterior (mais gorduroso) e diminuirá o tempo de estímulo da outra mama, o que reduzirá aos poucos o excesso de produção. Se sentir desconforto na mama que não foi ofertada, faça uma ordenha de alívio.

* Use um sutiã de amamentação adequado para apoiar e conter as mamas evitando, assim, que haja estimulação com o balanço dos movimentos do corpo.

 

7 – Peito Ferido: A pele do mamilo é uma pele mais sensível e, por esse motivo, com o atrito da sucção do bebê o bico pode, sim, ficar dolorido. Porém, ao contrário do que muitas mulheres pensam, bico ferido não é um sintoma normal na amamentação, e sim, um sinal de que algo não está indo bem. Se a pega ou o posicionamento do bebê estiverem errados ou se o bebê faz uso de bicos artificiais (como chupeta e mamadeira) ou se houver alguma disfunção oral, é bem provável que ocorra uma fissura na região da aréola.

É preciso, então, identificar a causa do problema e corrigir o quanto antes! Hoje em dia o laser é muito utilizado para acelerar o processo de cicatrização. Mas, para que tenha um efeito positivo, é preciso descobrir a causa da fissura e realizar ajustes, pois se o problema inicial não for corrigido, a cicatrização dificilmente ocorrerá.

Procure seu médico, uma consultora de amamentação ou uma fonoaudióloga para te orientar. E o principal de tudo: não desista!!! VOCÊ VAI CONSEGUIR! Acredite em você, confie no seu corpo e sinta seu bebê!

Natalia Zveibil | Fonoaudióloga, Consultora de Amamentação e Laserterapeuta

Compartilhe esse texto