Vamos falar sobre sexo?

-

Atualmente a satisfação sexual está intimamente ligada a qualidade de vida geral. Ter uma função sexual adequada é um  fator que contribui de forma positiva tanto na qualidade de vida feminina como nos relacionamentos com seus parceiros.  Estudos mostram que em media 60% das mulheres tem algum tipo de disfunção sexual e mesmo assim uma grande parcelas delas não buscam ajuda médica por vergonha, frustração , falta de apoio dentre outros motivos .

As queixas mais comuns entre as mulheres são a diminuição da libido, incapacidade persistente de ter um orgasmo, dor na relação sexual (dispaurenia) e vaginismo (quando não e possível realizar a penetração pela contração involuntária dos músculos ao redor da vagina).

As causas para essas disfunções são multifatoriais e incluem componentes orgânicos, emocionais e sociais. Experiências negativas, educação sexual rígida, vítimas de violência sexual têm uma maior propensão a apresentarem alguma questão sexual ao longo da vida. Também mulheres no pós parto, no climatério e na menopausa, devido a oscilação hormonal,  podem ter mais desconfortos.

Após uma consulta com o ginecologista, depois de ter afastado qualquer alteração orgânica (infecções, endometriose, desequilíbrios hormonais), a fisioterapia pélvica atua hoje como um tratamento fundamental para o tratamento dessas disfunções. O famoso Assoalho Pelvico ou períneo , tem grande importância na função sexual, isso porque ele circunda, não só a uretra e o ânus responsável pela continência urinaria e fecal, como também a vagina . Portanto qualquer desequilíbrio nessa musculatura , uma fraqueza ou um aumento da tensão podem levar as disfunções sexuais.

A fisioterapia meio de recursos manuais,  exercícios específicos, eletroterapia, biofeedback , dilatadores vaginais, bolinhas de pompoar, auxiliam no controle motor do assoalho pélvico , promovendo o relaxamento, melhorando a vascularização local (períneo), melhorar o controle e a percepção dessa musculatura.  O trabalho de fortalecimento promove um aumento do desejo sexual e consequentemente melhora da excitação e prazer.

Atualmente existem muitas promessas milagrosas na internet, programas online de pompoarismo, de exercícios de kegel etc… . Procure sempre um especialista para avaliar o seu assoalho pélvico. Estudos mostram que metade das mulheres não sabem contrair essa musculatura, o que torna difícil seguir esses programas!

Suzanne Ginzberg | Fisioterapeuta pélvica especialista pela UNIFESP

E-mail: suharari@hotmail.com e Cel.: (11) 99967-6306

Compartilhe esse texto