João E Maria – Lidando Com Adversidades

-

O conto de João e Maria nos faz refletir sobre importantes aspectos relacionados à adolescência.  Dentre tantos fatores relevantes, destacam-se questões relacionadas à coragem, à superação, bem como à escassez e ao abandono.

A história começa com uma situação problemática, em que João e Maria moram com seu pai e sua madrasta na floresta. O pai, um lenhador, não consegue prover o sustento da família, tendo como consequência uma vida de privações.

A madrasta das crianças convence então o pai a abandoná-las na floresta, com a intenção de reduzir “duas bocas” a serem alimentadas. Sozinhas e assustadas, elas andam muito até chegarem a uma casinha feita com chocolate, biscoitos e doces. Famintas, correm e começam a comer. De repente, aparece uma velhinha que se mostra muito gentil e as convida para entrar, servindo-lhes um delicioso jantar, além de camas arrumadas e quentinhas para dormir.

Entretanto, no dia seguinte, esta velhinha se revela uma bruxa que gosta de devorar crianças. João então é preso em uma jaula para engordar e ser comido e Maria é obrigada a realizar todos os afazeres domésticos para depois também ser saboreada como a sobremesa.

Ao analisar o conto, é possível observar que a escassez que acomete a família não é só material, mas também de amor, cuidado e proteção. A figura da madrasta e da bruxa nos traz aspectos da Grande Mãe, que ora pode se expressar de maneira positiva, sendo uma mãe provedora, amorosa e continente, mas, por outro lado, pode se manifestar negativamente, como uma mãe devoradora e abandonadora.

A madrasta como representação do aspecto negativo do complexo materno manifesta o abandono, a crueldade e o desamor em relação às crianças. Assim, João e Maria apresentam, como efeito disso tudo, sentimentos de desamparo, insegurança e vulnerabilidade.  Ainda convém abordar que a bruxa, também representante do mesmo complexo, utiliza a casa de doces como armadilha para atrair e capturar as crianças com a intenção de destruí-las e devorá-las. Consequentemente, elas são obrigadas a enfrentar situações terríveis, para as quais ainda não estão preparadas.

Assim, tanto a madrasta como a bruxa trazem elementos da Grande Mãe terrível, uma que abandona e a outra que destrói.
Nesse sentido, esse conto pode servir de alerta ao adolescente para o fato de que nem todas as pessoas estarão dispostas a ampará-los e que o mundo pode apresentar várias armadilhas, como a linda casinha de doces que a bruxa utiliza para atrair e seduzir as crianças.

Por fim, João e Maria conseguem matar a bruxa e voltam para casa, transformados e repletos de pedras preciosas, símbolo dos recursos adquiridos ao longo desta difícil jornada.

Adriana Politi | Psicóloga Clinica | Casa de Psicologia

Av.Angélica, 688 conj. 506 – Higienópolis – São Paulo

Tel.: (11) 99344-6018  e (11) 3828-3975

Compartilhe esse texto