Dificuldade de aprendizagem ou desconforto emocional?

-

A dificuldade no processo de aprendizagem das crianças envolve leitura, escrita e soletração. Acredite, nós pais podemos contribuir muito para que nossos filhos desenvolvam boas experiências e adquiram aprendizados mais completos com momentos ricos de vivências.

Vamos imaginar a foto de um ovo frito! – pode não parecer, mas vamos falar sobre crianças e não processos culinários e nutritivos, ok? Ao imaginarmos um ovo frito – como o da imagem acima – coloque o filho como sendo a gema e a clara representa todo o contexto externo que o rodeia, como por exemplo, relações familiares, escola etc.

Nesse contexto, que vou nomear como “clima afetivo”, é transmitido uma série de vibrações, que podem ser consideradas favoráveis ou não para o desenvolvimento infantil. Como por exemplo, se a criança vive em um ambiente acolhedor, amoroso e aberto para a comunicação, a gema estará protegida! Em contrapartida, se o clima parece inibidor e cria barreiras para esse desenvolvimento com cobranças, tensões e agressividade, a gema corre perigo!

Ao fazermos um paralelo com o sistema de aprendizagem, a criança durante seu desenvolvimento, precisa ter o registro de que o que vem de fora (a clara) pode ser: gostoso, saboroso, saudável, acolhedor e sereno. Na aprendizagem é semelhante! A criança incorpora conteúdos que vem de fora, seja qual for a idade ou conteúdo pedagógico.

Desta forma, para que a aprendizagem ocorra com sucesso, ela precisa ser transmitida com clima afetivo favorável. Com isso, a criança consegue compreender, fazer as associações e autorizar a entrada desses conhecimentos e informações.

Em alguns casos, essa dinâmica pode ser confundida com dificuldades de aprendizagem, quando a criança se fecha para o que vem de fora e não autoriza a entrada desse conhecimento.

Atenção! Isso é muito diferente de uma questão neurológica. Trata-se de um conteúdo emocional que precisa ser cuidado.

Quem já não teve trauma de professor que fazia chamada oral em sala de aula, era nervoso ou mais enérgico e não aprendeu a matéria? Pois é, eu tive!

Portanto a conclusão é que cada responsável deve cuidar de seu OVO FRITO!

Juliana Buchatsky Kruglensky | Psicóloga Clínica – CRP: 06/86329

Cel.: (11) 99530-9034

 

 

 

Compartilhe esse texto