barra

Apesar do atual bombardeio de informações e das exigentes demandas cotidianas solicitadas desde cedo, algumas crianças apresentam prejuízos em sua vida social, escolar, aprendizagem, que não correspondem ao potencial cognitivo (habilidades cognitivas) demonstrado por elas. É o que acontece, geralmente, no caso do TDAH. Diariamente, quando atendo crianças com dificuldades comportamentais advindas do transtorno, é possível observar que a intervenção adequada proporciona que a criança/adolescente utilize-se de suas habilidades e tenha importantes ganhos na escola, com os amigos e família.

No caso de crianças e adolescentes, o diagnóstico é realizado pelo neuropediatra ou psiquiatra infantil, apesar de ser um diagnóstico clínico, segundo o DSM 5, a criança deve apresentar 6 comportamentos ligados a desatenção e ou hiperatividade/impulsividade há pelo menos 6 meses, num grau excessivo ou inadequado para sua idade e deve apresenta-los em pelo menos 2 ambientes diferentes (casa, escola).

Algumas dicas de comportamentos mais frequentes para serem observados:

1. Dificuldade de coordenação motora, e muitas vezes é visto como “desajeitado” ou “desastrado”;

2. Dificuldade para ficar sentado e prestar atenção numa atividade (pode apresentar maior dificuldade de se focar, ou seja, se distrai facilmente com ruídos, estímulos alheios), necessita constantemente de supervisão;

3. Dificuldades de terminar as tarefas em casa e ou na escola no tempo esperado para sua idade e escolaridade, resisti para fazer tarefas que exijam esforço mental (geralmente a tarefa é longa ou complexa, como ler e interpretar textos)

4. Fala em excesso, age impulsivamente (dificuldade de pensar antes de agir), dificuldade de regular seu próprio comportamento principalmente em relação a regras, ao tempo e ao futuro;

5. Parece estar a “mil por hora”, dificuldade de brincar silenciosamente, apresenta movimentos corporais brutos;

6. Dificuldade para aguardar a sua vez, responde antes que a pessoa termine a pergunta, interrompe conversas de adultos frequentemente;

7. Dificuldade para se organizar, planejar, persisti em erros nas tarefas, pois não percebe sozinho o erro, perde coisas importantes para suas tarefas e ou cotidiano com frequência, etc.

Ressalta-se que o Transtorno do Déficit de Atenção é dividido em 3 subtipos: a) predominantemente comportamento desatento b) predominantemente comportamentos de hiperatividade/impulsividade e c) predomínio de comportamentos combinados (desatenção e Hiperatividade/Impulsividade). Portanto, uma criança pode ter dificuldade mais em uma área comportamental do que em outra, ou em ambas.

Mãe, se você observar diversos desses comportamentos persistentes no seu filho e prejuízos no seu dia a dia, busque uma avaliação profissional.

Daniella Didio Calderon – CRP 06/96933Psicologia, Psicopedagogia e Tutoria Escolar