barra

Antes das dicas, vamos falar um pouco sobre o que é dermatite atópica:

É uma doença crônica, ou seja, significa que vai ter períodos de melhora e de exacerbação, ou seja, se apresenta em surtos.

Aparece precocemente, após o primeiro ano de vida e em 60% dos casos melhora até a adolescência.

As lesões características são o ressecamento da pele, com presença de fissuras e prurido, principalmente nas dobras flexoras ( cotovelos e joelhos). Além de placas avermelhadas na face, tronco e superficie externa dos membros superiores e inferiores.

Muitas vezes a dermatite atópica pode estar acompanhada de rinite alérgica ou asma.

Por que a pele do atópico é ressecada? Isso acontece por um defeito genético, que faz com que a barreira da pele, que chamamos de barreira cutânea, apresente uma deficiência em gorduras, que faz com que ela perca mais água e consequentemente, torna- se mais frágil, sensível, ressecada e suscetível a infecções, assim como apresente uma resposta exacerbada a agentes irritantes como perfume, tecido sintético, sabonetes abrasivos ou buchas, entre outros.

Entre os fatores que podem desencadear ou piorar os sintomas, estão: alergias a pólen, mofo, ácaros ou animais, gripe ou resfriado, pele seca, fragrâncias ou corantes adicionados a loções ou sabonetes, estresse, etc

Vamos às dicas:

1- não coçar: a pele é o nosso órgão com maior inervação, ou seja, quanto mais a criança coça a pele, maior é a liberação de agentes inflamatórios da pele, que provoca mais coceira. Ou seja, é um ciclo vicioso;

2- Banho: deve ser rápido e morno, no máximo 10 minutos. Banho de imersão, ou seja, na banheira é melhor, pois o jato do chuveiro pode agredir a pele. Sabonete em pouca quantidade, principalmente para limpeza da axila e genitais, não usar bucha. banho

3- Evitar perda de água da pele: No último enxágue do banho,  utilize óleo  de amêndoas doces, seque a criança  sem esfregar a toalha e aplique rapidamente o emoliente.

4- Hidratar muito: os hidratantes atuais são fisiológicos, ou seja, se assemelham ao manto hidrolipidico da pele, com isso devolvem a integridade da barreira cutânea, tornando a pele mais hidratada e consequentemente reduzindo a coceira, fissuras e lesões infecciosas secundárias. dermatite

Já chegou ao Brasil os hidratantes feitos com aveia coloidal, que tem a capacidade de diminuir o processo inflamatório da pele.

5- corticóide tópico e imunomoduladores: Os corticóides atuam como antiinflamatórios da pele, reduzindo a coceira e as lesões. No entanto, o seu uso indiscriminado pode trazer consequencial como alterações da pigmentação e afinamento da pele. Os imunomoduladores são mais avançados e sua proposta é modular a hiperrreatividade inflamatória, através da inibição do receptor de calcineurina, sem trazer os efeitos adversos dos corticóides. Foi um dos maiores avanços nos últimos anos tanto para dermatite atópica, como vitiligo.

6- Coceira: além das medidas já descritas, os anti-histamínicos auxiliam no controle do processo alérgico. Uma queixa muito comum tanto dos  pais como das crianças atópicas é o prurido noturno, que não permite uma boa noite de sono, torna a criança mais irritada. Sabe- se que há correlação entre o stress e piora da dermatite atópica.

7- Novidades: no último congresso da academia americana de dermatologia e também no simpósio de dermatite atópica de São Paulo, falou- se muito na utilização de lactobacilos como coadjuvante ao tratamento. Pois na infância o trata gastrointestinal tem um importante papel na ativação do sistema imunológico e na sua modulação. Além disso a utilização de óleos por via oral ricos em ômega 3, 6 e 9 também ajudam a melhorar a coesão e adesividade celular.

O mais importante, ser crônico, não significa que não tem como cuidar!!!!!

É possível tratar sim!!!!!!

Dra Helua Mussa Gazi-

Clínica Belle Santé Dermatologia

Rua Cardoso de Almeida, 1991 Perdizes
CEP 01251-001 São Paulo- SP
Tel 11-3675-1211 ou 11-3675-4991
clinicabellesante@hotmail.com