barra

É muito chato dar bronca desnecessária. Tem hora pra começar, mas não tem hora pra acabar, normalmente leva a choros e gritos e acima de tudo depois sempre deixa a gente com aquele gostinho de culpa tão conhecido, que nos faz questionar todas as decisões que tomamos na vida. Por isso, cada vez que fujo de uma, eu rodopio com os braços abertos olhando pro céu.

Uma fórmula que ainda não me falhou é a “Bola de cristal antecipadora de problemas”.

Se o seu filho está resfriado e você está indo em lugar cheio de picolés, não espere seu filho chegar lá, olhar aquele monte de delícias para dizer “Você não pode comer sorvete hoje”. A chance de gritos/choro/transformaçãodemeninoparahulk é enorme, certo? Mas se no carro, no caminho para esse lugar, você fala assim: “Filho, no lugar onde a gente está indo vai ter picolé, mas hoje você não vai poder tomar porque está resfriado, tudo bem? Mas lá vai ter pão de queijo e brinquedos e bla bla bla”. Mesmo que a criança não goste do que você disse e até fique brava e questione, ela ainda está racional e dá pra argumentar, negociar e finalmente conseguir um “combinado”. Se deixar pra fazer tudo isso com o picolé na frente dele, é muito mais difícil.

Isso também se aplica pra outras situações, por exemplo: Vai ter um jantar com a Rainha Elizabeth. Um pouco antes de ir para o jantar você já diz: “Filho, hoje vamos ter o jantar com a rainha Elizabeth, é muito importante que você responda as perguntas que ela faça e não tente arrancar a coroa da cabeça dela que nem da outra vez.” Tudo que é feito e combinado antes da hora H tem muito mais chance de dar certo e se mesmo assim a criança insistir em reclamar, a argumentação é mais forte: “Mas não foi isso que a gente combinou”.

Por isso, com sua bola de cristal interna, é sempre importante antecipar conflitos quando está indo para lugares ou em situações diferentes, tentar visualizar pontos que podem estressar, assustar e irritar seu filho e avisá-lo com antecedência. Isso os deixa mais seguros e permite que vocês conversem e cheguem a um acordo enquanto ele ainda está racional.

Obviamente, vão ter momentos onde isso não será possível. Não dá pra antecipar todos os problemas e se não tiver uma birra de vez em quando a criança vai perder o status de filho, mas pelo menos ajuda a minimizar um pouquinho essas situações desagradáveis…

Boa sorte a todas nós!