barra

Quem nunca se deparou com questionamentos do tipo: “Ainda usa fralda?”; “Não segura a banana na mão?”; “Não fica sozinho na casa do amigo?”; “Não gosta de futebol?”. Dentre tantas outras questões do meio externo que grudam nas nossas próprias questões.

Curioso recordarmos o momento da gestação de nossos pequeninos. Imaginar tom de cabelo, cor dos olhos, identificar os genes recessivos e dominantes da família. Pois é… e quem aqui nunca precisou lidar com dados de realidade que fugiram completamente de nossas expectativas e desejos? Sejam motivos de saúde, características pessoais, escolha profissional etc.

O motivo dessa breve reflexão, apoiada em conteúdos simples e rotineiros, nos leva a conhecer a carga de tensão envolvida em nossas expectativas e o quanto simplesmente transmitimos, até inconscientemente, esse clima para nossos pequenos.

Imaginem um canudo com um fluxo interno passando. Se apertarmos o lado de fora, esse fluxo interno fica interrompido. E é exatamente isso que fazemos simbolicamente com nossos filhos. Será gerada uma tensão externa que impedirá toda a potencialidade interna deles de aparecer e espontaneamente fluir.

Nós como mães, pais, responsáveis, precisamos reconhecer nossos desejos, lidar com a frustração diante dessa expectativa não realizada e ter o autocontrole para aceitarmos nossos filhos como eles são. Por meio dessa aceitação podemos nos autorizar a agir sem intensidade desproporcional e de modo emocionalmente mais saudável. A psicoterapia se apresenta como uma excelente ferramenta de suporte para esse processo.

Isso nos leva a pensar na expectativa que as crianças possuem de seus pais, amigos, sociedade como um todo e nas decorrentes frustrações por eles também sentidas. Lidar com a frustração no mundo atual, repleto e inundado por redes sociais e desejos de aprovações do meio externo não traz uma tonalidade fácil para os jovens lidarem.

Para a saúde emocional: identificar desconforto, nomear o que sente e buscar ferramentas de resolução/substituição trará excelentes resultados, para nós e para nossos filhos. Faça você para que seu filho aprenda a fazer por ele.

E que a serenidade seja lançada! Boa sorte para nós!

Juliana Buchatsky Kruglensky | Juliana é psicóloga clínica, especialista em atendimento infantil, jovens e orientação aos pais, realiza consultorias em Instituições de ensino sobre o desenvolvimento do ser humano e realiza rodas de bate-papo preventivos e orientados com temas geradores de angústias para pais.

Cel.: (11) 99530-9034