Série sobre Drogas – Solventes

-

Oi pessoal, continuando a série sobre drogas, hoje iremos falar um pouquinho sobre os Solventes. Também chamado de inalantes, os solventes abrangem um grupo de substâncias químicas bem variadas, como por exemplo: lança perfume, aerossóis, tintas, colas, etc.

A facilidade de obtenção dos produtos parece ser uma das razões para o abuso dessas substâncias na população jovem.  Entre nove e 12 anos de idade, os meninos costumam entrar em contato com os inalantes, geralmente por curiosidade, e podem mudar para outro tipo de droga ao crescer e entrar em contato outras substâncias. O uso na população bem jovem é ligado também ao baixo preço dos compostos: um simples esmalte ou desodorante em aerossol se transforma em uma droga.

O uso dos solventes vai diminuindo conforme a idade, a não ser quando está ligado a casos de extrema dificuldade social e delinquência.

A via de administração mais usada é a inalação, mas também existe o uso oral. Acontece a inspiração da substância contida em um recipiente, ou então através de algum tipo de tecido embebido nela. Também pode ser inalado da sua própria embalagem; o aerossol pode ir direto para boca ou nariz.

Os solventes são rapidamente absorvidos pelo sangue, sendo o efeito quase imediato e a duração curta, de 5 a 15 minutos. A excreção das drogas depende do tipo de substância escolhida. A intoxicação aguda por solventes gera euforia seguida de depressão.

Como o efeito passa rapidamente, repete-se o uso várias vezes, dessa forma, a intoxicação podem durar várias horas.

Os efeitos são divididos em quatro fases:

– Primeira: euforia, alterações na visão e audição; tonturas, náuseas, rosto avermelhado e etc.;

– Segunda: depressão do sistema nervoso, com desorientação e confusão;

– Terceira: redução do estado de alerta, dificuldade de coordenação e reflexos diminuídos;

– Quarta: depressão profunda do sistema nervoso, convulsões, e até inconsciência.

A intoxicação por ingestão oral é muito grave e pode levar à morte.
Efeitos do uso crônico: os solventes causam mais danos ao cérebro e outros órgãos do que drogas tidas como mais comuns, como a maconha; pode haver falha cardíaca, pulmonar, dos rins, do fígado e dos nervos.

Em longo prazo pode ocorrer fadiga, dificuldade de pensamento, irritabilidade e alteração da aprendizagem e memória. O uso de solventes durante a gravidez aumenta risco de abortamento e de malformações.

Bianca Rodrigues de Godoy Lundberg | Médica de Adolescentes. Faz acompanhamento de rotina dos jovens de 10 a 20 anos de idade em consultório na Vila Clementino, zona Sul de São Paulo, há cinco anos.

Mais informações em www.biancalundberg.com

Compartilhe esse texto