barra

A depressão na infância e um diagnóstico relativamente novo (a partir da década de 70), apesar da doença existir desde sempre. Ela se manifesta de maneira bem distinta da do adulto e muito limitante, trazendo grave prejuízo social e escolar, dai a importância de um diagnostico precoce e tratamento adequado.

É importante lembrar que muitos adultos deprimidos iniciaram quadros na infância. Os principais sintomas por faixa etária são:

Crianças pré-escolares (ate 7 anos): principalmente sintomas somáticos (dor de cabeça, dor de barriga, cansaço, tontura), medos, irritabilidade, alteração de sono e apetite (com prejuízo inclusive no crescimento), perda do prazer de brincar ou ir a escola, agressividade, desenhos e brincadeiras com conteúdo de culpa, morte, fracasso ou perda.

Crianças escolares (6 a 12 anos): a criança já consegue relatar humor depressivo, tristeza, irritabilidade, choro fácil, apatia, isolamento social, queda no rendimento escolar, desinteresse por atividades que gostava, medos, vontade de morrer, alteração de sono e apetite, dificuldade de concentração, não consegue se divertir, baixa autoestima,

Adolescência: irritabilidade, humor instável, explosões de raiva, queda no desempenho escolar, baixa autoestima e sintomas semelhantes à depressão do adulto (tristeza, apatia, falta de prazer, choro fácil), ideação suicida, abuso de álcool e drogas.

Vale lembrar que esses sintomas devem persistir e deve haver uma mudança clara do comportamento anterior da criança com prejuízo

 

Dra. Danielle Herszenhorn Admoni | médica psiquiatra, com formação em adulto e especializada em psiquiatria da infância e adolescência, trabalha na Unifesp e em consultório particular