barra

Culpa de mãe é um saco. Um saco de tijolos sem alça que a gente carrega nas costas subindo uma ladeira de salto alto embaixo de chuva depois de ter feito escova. Aí a gente posta no Mamis querido (mãos fazendo coraçãozinho pra vocês) e outras mães que sabem o que é carregar esse saco pesado ajudam a te empurrar pra cima e aliviam seu peso.

Mas, e se tivesse como não precisar passar por tudo isso? E se, melhor ainda, desse pra trocar essa sensação pela impressão de estar subindo em um palco com um vestido Valentino esvoaçante pra ganhar o Oscar de Best Mom Ever com toda a platéia ovacionando de pé?

Então aguentem o textão aí!

Antes de mais nada, existem milhões de tipos de culpa, a grande maioria desnecessária porque a gente simplesmente exige demais de nós mesmas, mas tem uma delas que de vez em quando dá pra evitar: a bronca. Mas não qualquer bronquinha…  Estou falando daquela metamorfose de mãe gentil a Incrível Hulk, em que você vê o medo nos olhinhos do seu filho.

Diferentemente dos outros posts, não tenho uma fórmula mágica, divertida e infalível pra evitar isso, até porque se eu tivesse, eu não estaria aqui, mas sentada em um trono dourado em um templo no topo de uma montanha no Tibet sendo visitada por mães discípulas, viajantes de todo o mundo. Mas, descobri que existem algumas formas de segurar os impulsos e reações agressivas com nossos filhos que geram culpa depois.

  • Se conscientizar de que, na hora que seu filho fez algo de muito errado, a sua primeira e instintiva reação muito provavelmente será a errada. Pra reagir de uma forma mais “correta”, você tem que saber que vai ter que ir contra tudo o que está sentindo na hora e nadar contra a corrente. (Achou que era fácil ganhar Oscar com vestido Valentino?).
  • Use a culpa a seu favor. Quando você já tiver explodido e estiver se sentindo derrotada colocando os tijolos dentro do saco pra começar sua longa jornada na ladeira da culpa, tente nessa hora pensar em como você poderia ter reagido diferente e memorize bem aquilo que você pensou. Você pode e deve usar da próxima vez. Se você já tiver uma idéia pronta na cabeça, é mais fácil de nadar contra a maré na hora da raiva. Não se esqueça que aquela reação explosiva nunca é sua única opção.
  • Estipular mandamentos que sejam importantes pra você que não podem ser quebrados de jeito nenhum como:

– Não gritarás

– Não rotularás

– Não usarás aquele olhar de mulher má

Não adianta fazer uma lista enorme de mandamentos, porque vai ser muito mais difícil de cumprir e lembrar, mas se pelo menos você usar uns 2 como mantra, é mais fácil de respeitar na hora do descontrole.

scold

  • Na hora que a raiva sobe de uma vez e você nem tem tempo de pensar nas dicas 1, 2 e 3, tentar simplesmente ganhar tempo fazendo perguntas pra criança. Às vezes a fofura dela explicando vai te acalmar. (ou não) mas de qualquer maneira, te dá tempo de analisar melhor a situação e pensar em alternativas de reação. Exemplo: “Por que o leite está derramado em todo piso novo da cozinha?” “Porque eu estava tentando levar pra minha irmazinha e derrubei sem querer” (Improvável, mas vai que, né?)

 

É claro que vão ter situações impossíveis de manter o auto controle, em que a criança vai pegar um estilingue e seu Smartphone e sua SmartTV vão virar Stupid Cacos espalhados pela sala e aí até o Dalai Lama cruzaria os braços e franziria as sobrancelhas, mas na maioria dos casos dá pra evitar ser engolido pelas nossas reações habituais, naturais e automáticas que geram culpa. Agora vem a frase que merece um negritinho: Você nunca vai se arrepender de segurar a raiva. Você não vai conseguir sempre, porque lutar contra você mesmo é antinatural e muito cansativo, mas a sensação de fazer discurso segurando aquele Oscar enquanto seus exaustos neurônios aplaudem você emocionados vale o esforço.

E quando não der, TUDO BEM, amigas! Vamos carregar juntas o saco pra cima dá maneira mais Diva possível e tentamos de novo na próxima!

Débora Hemsi Cuperschmidt

Redatora publicitária, vencedora do Prêmio Nobel da Paz, mãe, vencedora do Masterchef, representante brasileira na ONU, segundo lugar no America´s next top model, doutorado em física quântica, nova baterista do Bon Jovi, Medalha de bronze nas Olimpíadas de Atenas, ganhadora de um Wii numa promoção da Bayard, ex –BBB.

Só 3 dessas informações são verdadeiras, mas eu não vou contar quais são.