barra

Vira e mexe vejo gente perguntando sobre livros infantis que falem sobre sentimentos ou que ajudem as crianças a lidarem com certas frustrações. Eu escrevi um livro infantil que fala um pouco sobre isso indiretamente, mas para mim, indicar algo que eu mesma escrevi é que nem arranhar a unha na lousa. Apesar disso, uma pessoa que eu respeito muito insistiu que fizesse um post sobre esse livro e eu resolvi encarar meu pavor de parecer arrogante e falar um pouco sobre ele por um simples motivo: a reação que tive das pessoas que o leram.

Quando eu escrevi esse livro eu estava tendo um dia muito ruim. Muito, muito mesmo. Aqueles que dá tudo errado de um jeito tão nítido que você consegue ter a compreensão que nem adianta insistir em mudar sua sorte… basta ter um pouquinho de paciência que amanhã vai ser melhor.

Quando eu estava digitando no meu computador aqueles versos, eu não tinha idéia que esse se tornaria o livro preferido de muitas crianças. Que diversas mães, que eu nunca tinha visto na vida, me procurariam pra dizer que os filhos decoraram várias estrofes, ou escolheram pra levar pra ler na escola e acima de tudo, que ajudaram no diálogo e na comunicação em casa, conseguindo verbalizar que tiveram “um dia de limão”.

O mercado editorial é muito difícil e requer muita paciência e persistência, mas perceber que naquela tarde difícil eu consegui achar as palavras certas e alcançar de verdade a casa das crianças, valeu todo o esforço.

O livro tem uma linguagem simples, em forma de poesia e utiliza o universo da criança pra exemplificar “os dias de mel e dias de limão”. Se eu tiver que limitar uma faixa etária (o que não gosto de fazer), eu diria que é indicado para crianças dos 2 aos 6 anos.

Se alguém tiver interesse, ele é vendido no site das principais livrarias (Cultura e Saraiva) e eu também tenho alguns exemplares que posso mandar com dedicatória.

Ainda não estou me sentindo à vontade de fazer indicação de um “filho” meu, mas a aprovação e suporte das famílias leitoras me encorajam a dizer que posso, e muito, me orgulhar do que escrevi.