barra

Na nossa Coluna Teen, temos vários especialistas abordando questões da adolescência: dermatologistas, ginecologistas, psicanalistas e mães… Mas e se buscássemos informação direto da fonte? E se perguntássemos diretamente para uma adolescente o que estamos fazendo de certo e de errado?

Fiz algumas perguntas para uma adolescente de 19 anos que pediu para se manter anônima. Ela também se baseou na opinião de outras amigas que enfrentam os mesmos problemas. Não editei nenhuma resposta.
1- O que você gostaria que fosse diferente no relacionamento com sua mãe?

Que ela me escutasse mais. Muitas vezes, conversando, parece que ela está ouvindo mas não está escutando, não está realmente prestando atenção sobre aquilo que digo. Pergunta no automático para criar uma conversa mas não está realmente dedicada a criar um diálogo e lembrar do que foi dito horas ou até mesmo dias depois.

2- O que ela faz que mais te incomoda? Quais são as coisas que deveriam ser proibidas que pais de adolescentes fizessem com os filhos?

Invadir o meu espaço e não me deixar lidar com situações sozinha.
Nada é melhor do que aprender as coisas na marra, certo? Deixem que sejamos capazes de saber lidar com qualquer tipo de situação, seja ela fácil ou difícil de ser resolvida. Entendam que ajudar é completamente diferente de super controlar as situações! Dar conselhos é diferente de resolver o problema em si! Estamos na idade de começar a andar com os próprios pés e enfrentar o mundo com os nossos braços, tentar nos controlar muitas vezes acaba gerando um desentendimento em ambas as partes, o que pode causar diversos conflitos.
Não confundam o que estou dizendo: mesmo falando que é necessário saber dar espaço é mais necessário ainda saber conversar, estar ali para ajudar, guiar e dar apoio! Conversando é possível resolver tudo, acreditem! O que varia de conversa para conversa e de pai e pai é o tom com que ela é realizada! Tudo aqui trabalha como um conjunto, não adianta querer conversar quando não existe uma relação de confiança, de suporte para isso, como por exemplo uma falha no que acabei de falar sobre dar espaço e apoio. Certas horas é necessário ser mais racional do que emocional, mesmo com quem mais amamos.

3- O que você acha que é motivo que faz com que muitos adolescentes parem de respeitar os pais?
Tem mais a ver com o fato de adolescente ser adolescente e buscar romper os limites ou tem mais a ver com algo que os pais fazem de errado e acabam quebrando a confiança dos filhos?

Acredito que seja um pouco dos dois. Filhos que não se sentem respeitados ou entendidos podem fazer coisas para provocar propositalmente, e nós sabemos bem como provocar hahaha, isso faz com que cada vez mais os pais acabem “ficando em cima” dos filhos, gerando tal situação que é como um ciclo.
Para melhorar isso é preciso diálogo! Ambos os lados precisam entender que se isso está acontecendo, ninguém está completamente certo e de nada vai adiantar se fechar e crer que não a como resolver tal situação!
Pais, tentem ser o mais compreensíveis possível! Pode parecer muito difícil, e certas vezes realmente é, mas a base de qualquer relação é a confiança, e para esta exisitir muitas vezes é necessário se colocar no lugar do outro e refletir sobre o que está errado.

4- Você acha que os pais devem insistir em saber tudo q acontece com os filhos ou tem que dar espaço? (Tipo mexer no celular, exigir que ligue toda vez que sai a noite, etc etc…)

Não!!!! Espaço é mais do que fundamental para o crescimento de qualquer um, independente da idade! Cobrem a gente como pessoas já capazes de sermos responsáveis por nós mesmos, não como crianças que são dependentes de seus pais!
Fuçar nossas coisas não vai ajudar em nada, juro! Perguntem, demonstrem interesse em saber o que fazemos, com quem fazemos ou até porque fazemos, mas entendam que dar espaço para o filho querer ou não responder, não é a mesma coisa que obrigar ele a contar tudo toda hora! Como já disse antes, é preciso criar uma relação de confiança, saibam como cobrar sem querer fazer pela pessoa, lidem com pessoas tão responsáveis quanto vocês.

5- Que dica você daria pra mães de adolescentes?

Amem seus filhos sempre, mas entendam que todos nós precisamos crescer um dia!

Pode ter parecido que eu criei tipos de relacionamentos entre pais e filhos muito turbulentos ou que não existem, mas para tentar explicar o porque agimos como agimos, certas vezes é necessário se basear no extremo para conseguir enxergar com clareza.