barra

A adolescência é cheia de desafios para os pais. Por diversos momentos estamos preocupados com drogas, bebidas alcoólicas em festinhas, a sexualidade da garotada e outas coisinhas mais. Nada talvez seja mais importante e, por consequência preocupante, do que a orientação voltada à profissionalização de nossos filhos.

Neste momento vemos o quanto é difícil para eles decidir qual vestibular prestar, qual curso agarrar e principalmente qual carreira seguir com apenas 17 anos de idade. Em alguns outros países, vemos que os jovens podem escolher um pouco mais tarde, mas aqui, por conta do vestibular,  a pressão de ter que estudar uma série de matérias que estão frescas na cabeça  novamente faz com que os jovens primeiro entrem na faculdade para depois buscar outras experiências  como estudar fora, por exemplo.  Uma pena, pois a maturidade e a experiência fazem uma baita diferença nesta hora.

Com meu filho aconteceu exatamente isto. Logo que acabou o ensino médio ingressou no curso de Contabilidade. Foi escolha dele, mas observando alguns exemplos de sucesso na família.

Depois de cursar o primeiro ano, foi passar 6 meses no Canadá para aperfeiçoar o Inglês. Na volta, sua inspiração para contábeis já era bem menor.  Ele sabia que poderia ter um bom futuro nesta área, mas não era exatamente o que queria. Estas dúvidas fizeram com que entrasse em uma depressão.  Alguns remédios e terapias depois, ele optou por passar um ano em Israel fazendo um curso de Líderes para juventude e trabalhos voluntários com crianças.

Já durante o curso seu discurso era outro, seu olhar sobre o mundo mudou e seu entusiasmo era cativante. Quando relatava suas experiências com as crianças sentíamos  que ele realmente estava feliz.  Na volta, resolveu cursar pedagogia.

É logico que, como pais, ficamos bem preocupados.  Afinal, quanto ganha um pedagogo ou professor no Brasil? É uma carreira bem desvalorizada e ainda nos preocupamos, pois não conhecíamos meninos nesta área.  Mas respiramos fundo, pensamos que a vida é dele, os sonhos são dele e quem somos nós para acabar com o sonho de alguém? Quantos médicos, engenheiros, advogados que não se deram tão bem assim na vida?  Hoje em dia nada é garantido, fazer o que se gosta já é um ótimo começo.

Na minha área tive que voltar a estudar e me atualizar, da minha faculdade de Publicidade e Propaganda na ESPM pouca coisa sobrou para atividade de marketing digital que atuo.   Devemos nos atualizar diariamente.  Basta dormir que ao acordar os aplicativos já mudaram.  Desta forma, como em todas as profissões temos que sempre nos reinventar. Estamos vivendo mais anos e temos a chance de mudar de carreira algumas vezes na vida.

Agora minha filha está no seu ano de vestibular e vamos começar tudo novamente.  Não acho que será mais fácil. Cada filho com suas individualidades. No fundo tudo é um grande exercício de conhecimento e principalmente autoconhecimento.

Acredito piamente que a felicidade está na jornada e não no destino. Espero que eles sigam sendo felizes com suas escolhas.

 

Marcia Calderon Sister | Mãe e Infoprodutora do Pitadas de Marketing