barra

A adolescência é um momento de mudanças e descobertas, o cérebro de um adolescente está em expansão neural e pronto para novas experiências.  Eles se distanciam dos pais para saberem quem são e descobrirem seus valores pessoais, isso é necessário, é saudável e faz parte do amadurecimento.

Só que o jovem se expõe a riscos sem saber suas consequências. Assim as Drogas se tornam um atrativo do novo, o ousado, fazer parte de um grupo, muitas vezes, não ser “o careta”.

O uso de Drogas atua imediatamente no circuito do prazer do cérebro e tem uma resposta prazerosa imediata. Esse é um dos problemas ao usar o discurso – “Drogas são ruins”!

Ao dizer isso, o adolescente logo pensa: “Não sabem o que estão falando”.

O discurso têm que ser:

– Elas podem ser boas, trazer muito prazer na hora, “viagens boas”, mas o custo é elevado e dolorido.

Quando os pais têm uma participação ativa na adolescência do seu filho(a) que significa: Ouvir e Ver de fato o que está acontecendo, estar  presente, aceitar a realidade e conhecer os amigos do filho, tudo fica mais seguro para que não entrem nesse mundo.

Um grande desafio dessa “época “ é dar liberdade com supervisão. Cada casa deve achar sua forma para informar, proibir e conversar. Se a punição for muito grande, podem começar as mentiras e, assim, não saber o que acontece.

Não é uma equação das mais fáceis.

A primeira droga que “leva” a outras não é a maconha e sim o álcool. Ele sendo lícito acaba sendo tirado do conceito de droga e acabamos falando: cigarros, álcool e drogas. Sendo que o álcool leva um adolescente a cada vinte minutos ao hospital.

O “binge” que são vários “shots” de bebida destilada em menos de duas horas, chega à matar por intoxicação pontual de alto consumo alcoólico.

O que podemos fazer?

Perguntar: Porque a balada, Rave, a festa só é boa com bebidas e Drogas?

Tenho certeza que você consegue se divertir sem uso dessas substâncias ou exagerar no álcool.

Um choque de realidade que surgiu efeito e é usado no Reino Unido foram propagandas de antes e depois de pessoas usuárias de drogas. Fácil achar na internet, só dar uma busca e assim fica fácil de esclarecer: É bom, mas destrói.

Cada um com sua sabedoria e forma de falar com o filho pode evitar muitos problemas.

Enfim, tem uma frase que eu particularmente acho que define bem o que é ser mãe: A fase mais trabalhosa é desafiadora do nosso filho é a que ele está.

Beijo estalado em todas,

Natascha Gannuny Müller | Psicóloga clínica  | Estou no #emporiomamis