barra

Um sentimento forte e avassalador, que invade todo o nosso ser.

Quando o adolescente se apaixona, ele se entrega totalmente a este sentimento, sonha acordado, devaneia. Como dizem: “se joga”, mas também observa- se que com a mesma rapidez que a paixão ocorre,  na maioria das vezes ela vai embora.

O adolescente apaixonado consegue melhor do que ninguém reduzir em um  único impulso sexo e ternura.

No seu desenvolvimento o jovem precisa aprender que a ternura no casal é tão essencial quanto o desejo sexual. Entretanto, esse aprendizado ocorre gradativamente com as vivências nas relações.

O amor platônico é muito recorrente entre os adolescentes e pode ser vivido tanto  por um ídolo como por seus pares. A paixão na adolescência cumpre uma função importante na preparação do futuro amor, gerando um desenvolvimento  que exprime suas aspirações e suas dificuldades.

Essa exuberância nos sentimentos do adolescente está relacionada com as mudanças  psicossociais referentes a esta etapa, assim como também, com  as alterações  hormonais que acompanham a puberdade.

Os pais, nesse período, devem permanecer próximos, oferecendo apoio, orientação e supervisão, pois os riscos presentes não devem ser desconsiderados. O diálogo franco, aberto e honesto se faz necessário.

A tarefa básica da adolescência é a aquisição da identidade pessoal,  os pais devem   encontrar  a exata medida para que a autoridade  seja exercida sem cair no autoritarismo.  As sugestões devem prevalecer em prol das imposições.

 

Adriana Politi | Psicóloga Clinica | Casa de Psicologia

Av.Angélica, 688 conj. 506 – Higienópolis – São Paulo

Tel.: (11) 99344-6018  e (11) 3828-3975