barra

Toda mãe, desde o momento em que fica sabendo da gravidez, sempre quer o melhor para seu bebê. É inevitável o instinto materno: aquele impulso de defender com unhas e dentes a nossa cria. Com a maternidade, a preocupação é algo constante em nossas vidas, queremos ter a certeza de que o nosso bebê esteja dormindo bem, ganhando peso corretamente, enfim, que esteja saudável e feliz!

Quando eles crescem mais um pouco e vão à escola, nos preocupamos ainda mais! Se eles caem e ralam o joelhinho, nossa! Pode ter a certeza que dói mais na gente do que neles. Queremos também estar lá para dar colo quando vier o primeiro coração partido, ou quando seus amigos os decepcionarem. Existem coisas na vida que sabemos serem inevitáveis e embora não possamos protegê-los de tudo, sabemos que podemos sempre contar com tudo aquilo que fizemos por eles no passado. E embora venham os desgastes provocados pelas adversidades comuns a todos nós, quando vemos que eles foram capazes de colocar em prática os valores aprendidos, é um orgulho sem tamanho! É a nossa recompensa como mãe, uma alegria infinita!

Ainda falando sobre querer o melhor para eles, um assunto que sempre permeia o nosso universo é a coleta de células-tronco. Sabemos que o assunto é muito vasto e por vezes se torna mais preocupação! Afinal, qual a real serventia, qual a melhor decisão?

Abaixo, segue o relato da Kyra Gracie: atleta, apresentadora de TV e mãe de duas meninas. Kyra é extremamente antenada ao universo materno pois tem também a responsabilidade de difundir informações relevantes para as outras mães e tornar a maternidade uma experiência um pouquinho mais fácil! Confiram o relato na íntegra.

“Como toda mãe, eu quero oferecer as melhores oportunidades para as minhas filhas. Foi pensando no futuro delas que decidi, junto com o Malvino, pelo armazenamento do tecido do cordão umbilical das minhas bebês. Tomei essa decisão no parto da Ayra, e agora não poderia ser diferente.

Pesquisando sobre o tema, vi que alguns estudos apontam que o uso de células-tronco mesenquimais será o futuro da medicina no tratamento de uma lista enorme de doenças. Se eu não tomasse essa decisão agora, ela ainda teria outras oportunidades, mas quanto antes armazenar, melhor!

As células-tronco mesenquimais apresentam um grande potencial para se diferenciar em outros tipos de células e tecidos que compõe o nosso organismo, como músculo, osso, cartilagem e gordura. Além disso, essas células podem ser multiplicadas em laboratório. Elas são encontradas no tecido do cordão umbilical, no tecido adiposo (gordura) e na polpa dos dentes de leite e permanentes. Ou seja, durante o parto, se for cesárea, mamãe e bebê podem ter suas células-tronco armazenadas. A boa notícia é que para quem perdeu a oportunidade no nascimento do bebê, também dá para armazenar quando os dentinhos de leite começarem a cair. Eu preferi já garantir no parto mesmo.

Porém, à medida que o tempo passa, as células-tronco, como o resto do nosso corpo, envelhecem. “O parto é a única oportunidade para colher células-tronco do cordão umbilical, que são extremamente jovens e com baixíssima exposição a fatores que possam prejudicar o seu potencial”, afirma Dra. Mayana Zatz, pesquisadora reconhecida como uma das mais importantes geneticistas do País, Diretora do Centro de Estudos do Genoma Humano e do Instituto Nacional de Células-Tronco em doenças genéticas da Universidade de São Paulo e consultora da StemCorp, uma das empresas mais respeitadas do país, e a que eu escolhi para cuidar das células da minha segunda filha, Kyara.

 É importante levar algumas questões em consideração:

– Qualidade científica dos seus profissionais;

– Publicações científicas na área. Quanto mais publicações e envolvimento com a pesquisa, mais avançada é a empresa;

– Se a empresa é a desenvolvedora da tecnologia e se o método garante um número superior de células armazenadas;

– Se a empresa tem tecnologia e knowhow para multiplicar as células, permitindo mais de uma aplicação ao longo da vida.

 Como mãe, quero que minha pequena sempre possa ter o melhor para o seu futuro e não tenho dúvidas de que com as mamães que estão lendo são exatamente iguais.”

Para ter acesso à matéria completa, clique aqui.

Visto os avanços da medicina, vale a pena a pesquisa para entender quais são os benefícios que seus filhos e sua família poderão obter com o armazenamento de suas células-tronco. Lembramos que existem dois tipos de células-tronco adultas que são comumente confundidas! Clique nesse link para saber o que são e para que servem as células tronco.

Espero poder ter ajudado todas as mães, que como todas nós, estão em busca de informações sérias aliadas à maternidade!

 

Mariane Secco | Diretora Científica da StemCorp