barra

No calendário judaico Tishrei é o primeiro mês na contagem cívil hebraica e o sétimo de acordo com a Bíblia. Em seus trinta dias corridos comemoramos quatro festas judaicas, Rosh Hashaná, Iom Kipur, Sucot e Simchat Tora. As duas primeiras são as mais conhecidas e comemoradas pela grande maioria dos judeus ao redor do mundo.

A primeira festa é Rosh Hashaná, o Ano Novo Judaico.

O dia 1º de Tishrei pela Biblia é o 6º dia da Criação do Mundo onde Deus criou Adão e Eva assim também celebramos o aniversário do ser humano. Nesta data que cairá no domingo, dia 29/09, ao entardecer e só terminará ao anoitecer de terça-feira, dia 01 de outubro, costumamos dizer que é um dia longo com duração de 48 horas. Em Israel também é celebrado por dois dias.

Uma particularidade da festa é não cochilar durante o dia para não desperdiçar um momento precioso. Os sábios judeus afirmaram que aqueles que dormem em Rosh Hashaná terão uma “sorte adormecida” ao longo do ano ou em outras palavras tudo o que você faz no primeiro dia do ano se reflete ao longo dele inteiro. Desta forma, seguindo este preceito, a dica é após ouvir o toque do shofar na segunda-feira de manhã na sinagoga e almoçar com os familiares e/ou amigos, não se disperse sozinho, continue na companhia deles ou de um bom livro sempre com bons pensamentos.

A chegada será do ano 5780 e com ele realizamos alguns costumes de acordo com a religião como ouvir o shofar na sinagoga no período da manhã. Ele é o chifre do carneiro que nos remete a história de Avraham, que sacrificou aquele animal ao invés de seu filho Itzchak, na qual é lida no segundo dia de Rosh Hashná para nos lembrarmos da devoção a Deus de nossos antepassados e continuarmos no mesmo caminho. Este objeto não é um instrumento musical, ele tem a importante função de fazer com que nós possamos parar, refletir, avaliar, corrigir nossas ações anteriores ao som de seu toque e recomeçar uma vida nova na melhor versão de nós mesmos.

A palavra Rosh Hashaná traduzida ao pé da letra significa Cabeça do Ano. Do mesmo jeito que o cérebro dá ordens para o resto do corpo, este dia nos norteia para boas decisões e comportamentos positivos ao longo dos próximos meses. E para ter ótimas perspectivas, nada melhor que comer alimentos adocicados que é mais um costume bonito desta festa.  O mais tradicional é a maça com mel. Existem algumas explicações para esta fruta ter sido escolhida, uma interpretação é que o Jardim do Éden tem o aroma de um pomar de maças.

Uma prática que é realizada na 2ª noite de Rosh Hashana durante o jantar é  comer uma nova fruta que durante o ano anterior não foi consumida e pronunciamos a benção de shehecheyanu. Uma sugestão é ir antes no mercado com seus filhos, deixar eles escolherem este alimento diferente, aproveitar a ocasião para conversar sobre esta possibilidade de novidades trazem benefícios para nós, assim como esta reza enfatiza o poder Daquele que nos deu a vida nos manteve e nos fez chegar até a presente momento.

Em tempos tumultuados e acelerados como os dias atuais, um dos hábitos mais nobres em Rosh Hashana é enviar mensagens carinhosas aos familiares e amigos. Mesmo sendo através da tecnologia, isto nos permite dar uma parada e demonstrar o quanto o outro é importante para nós.  A vida é mais importante que o tempo. O tempo passa e o que fica são os momentos especiais, o tempo vale o quanto aproveitamos dele e principalmente acredite em você que de repente pode estar fazendo a diferença na vida do próximo!

SHANÁ TOVÁ UMETUKÁ (um ano bom e doce) para todos seus amigos e familiares e ser inscrita no Livro da Vida.

Daniela Jarczun Fridman | pedagoga, psicopedagoga, professora particular das matérias do Ensino Fundamental 1, mãe do Ariel e Ilan