barra

A comida é a alavanca mais forte para otimizar a saúde humana e a sustentabilidade ambiental da terra. O jeito que comemos está acabando com a nossa saúde e a saúde dos outros e a saúde do nosso planeta. 2.1 bilhões de pessoas no mundo estão acima do peso e comendo mais açúcar, carne vermelha e gordura do que nunca. Por outro lado, 820 milhões de pessoas vão dormir com fome diariamente.

A produção global de alimentos ameaça a estabilidade climática e degrada o ambiente. Em anos, se não mudarmos nossos hábitos alimentares, não teremos como alimentar a todos.

Para isso precisamos entender que vegetais precisam ser um componente primordial em nossa alimentação, assim como as frutas. Podemos comer proteína animal, mas em menor quantidade, assim como produtos lácteos. Devemos priorizar gordura insaturada e nos afastar de grãos refinados, comidas processadas e açúcar. E não desperdiçar comida!

Com isso reduziremos o risco de diabetes, câncer e AVC. Essas mudanças podem evitar 11 milhões de mortes por ano. Podemos fazer o bem para nós, para o próximo e para o nosso planeta de forma sustentável! Mas depende de todos nós! Food can fix it!

Não sou eu quem diz, mas sim a comissão formada por 37 pesquisadores no mundo, reunidos por uma ação da revista LANCET (EAT- Lancet), que estudam como alimentar de forma saudável uma futura população de quase 10 bilhões de pessoas até 2050 dentro dos limites do nosso planeta.

A revista médica LANCET é uma renomada revista científica na área médica e convoca a comunidade para necessidade de uma transformação radical do sistema alimentar global.