barra

Sua vida é diferente quando você está de bem com você mesma!

Mas, o que afasta as mulheres de sua verdadeira autoestima? Como resposta eu afirmo que as principais causas deste transtorno que a maioria de nós mulheres sofre, são as crenças e valores invertidos sobre o si mesma e sobre o ser mulher.

Não há mulher empoderada que sustente uma autoestima negativa. O empoderamento feminino necessita que haja uma transformação destas crenças e valores que agem duramente contra a verdadeira autoestima.  Assim, é necessário   o autoconhecimento para identificar estes conteúdos e entender de onde eles vieram e como eles agem em nós, causando tantos sofrimentos e nos afastando de nossa verdadeira força do querer bem a nós mesmas.

Uma mulher empoderada é uma mulher que se conhece, sabe seus pontos de dificuldades, e tem o potencial para transformá-los. Desta forma, durante esta semana trarei os principais conteúdos importantes para que você mulher possa construir uma autoestima positiva que irá impulsionar sua força interna.

Cada conteúdo terá uma pequena explicação e dicas importantes para você por em prática no dia a dia.

Auto aceitação

Um conteúdo muito importante e que causa sofrimentos para as mulheres em geral é a não aceitação de si mesma. Temos a tendência de exigirmos muito de nós e de querermos atingir um padrão ideal de mulher, que corresponda as nossas expectativas quanto ao nosso desempenho nos diversos papeis que exercemos.

A questão é que quando temos um modelo ideal na mente potencializamos a tendência à frustação se não atingido. Desta forma, desencadeamos sentimentos contrários a nós mesmas, como: mágoa, raiva, insegurança, auto cobrança, inferioridade, rejeição, dentre outros. É preciso prestar atenção aos excessos de exigências quanto ao perfeccionismo que queremos desempenhar.

Ser capacitada, não significa ser perfeita. Querer fazer o melhor de si, não significa nunca errar. Sentir insegurança perante um desafio, não significa ser medrosa. Sentir medo de não conseguir dar conta de muitas coisas ao mesmo tempo, não significa ser fraca!

O segredo para você se sentir em paz consigo mesma é aceitar a si mesma. Para isto vou lhe dar algumas dicas:

– Conheça a si mesma e saiba como você lida com suas dificuldades e desafios.

– Aceite seus limites e saiba como ir além deles de forma consciente.

– Goste de você do jeito que você é e seja feliz mesmo com suas imperfeições.

– Pratique todos os dias falar algo de bom para si mesma.

Autoimagem

A autoimagem tem a ver com a visão através da qual nós formamos uma ideia sobre nós mesmas. Isto está diretamente ligado a quanto nos valorizamos e gostamos de nós!

Mulheres que possuem uma autoimagem positiva são mulheres que não estão apegadas à forma como os outros a veem e não são se importam com a opinião do outro. São mulheres que se sentem mais seguras e se valorizam muito mais. Gostam mais de si mesmas.

Minha experiência de longos anos com as mulheres ajudando a impulsionar o empoderamento feminino, revela contudo, que as mulheres são tendentes a um comportamento oposto a este. A desvalorização do si mesma e a preocupação com a avaliação do outro são conteúdos que mais aparecem como fatores negativos que contribuem para uma autoimagem negativa.

Isto se mostra em todas as áreas em que a mulher atua. Isto tem origem nas crenças e valores invertidos sobre o feminino que impactam negativamente na autoimagem e transparecem no comportamento das mulheres.

Algumas dicas para melhorar a autoimagem:

– Valorize a si mesma e não dê tanta importância ao que os outros possam pensar de você.

– Aceite-se como você é e seja feliz valorizando o melhor em você.

– Coloque foco nas suas qualidades.

– Imagine todos os dias uma imagem positiva diferente de você.

Auto culpa

Por que nós mulheres tendemos a sentir culpa por várias questões, mesmo aquelas em que muitas vezes temos certeza de que não temos nenhuma responsabilidade?

Se o filho vai mal na escola; se o casamento ou a relação está ruim ou terminou; se valoriza fazer uma carreira profissional e tem filhos; etc. São alguns exemplos mais comuns que eu vejo no meu trabalho com as mulheres.

Somos muito empáticas e percebemos de forma profunda os sentimentos, sofrimentos que vem do outro e das situações em que somos envolvidas. Nossa tendência é a de sermos mais responsáveis e conscientes desta responsabilidade. Porém, isto acaba gerando a auto culpa, em que nos cobramos por isto.

Estes conteúdos, porém, não são negativos quando existe o equilíbrio do sentir e a lucidez de saber o que é de nossa responsabilidade e o que não é.

Algumas dicas para ajudar você a lidar auto culpa.

– Autoconhecimento para saber lidar com sua empatia e emoções.

– Não se culpe tanto. A auto culpa é um tipo de orgulho ferido.

– Quando errar não pense o pior de si.

– Desapegue do vicio de se sentir culpada.

Amor por si mesma

As mulheres que sentem amor por si mesmas são mulheres que se aceitam como são. Aceitam suas limitações; ‘seu jeito de ser’; se amam acima dos erros e se auto respeitam.

Possuem um comportamento mais natural, mais simples, mais espontâneo em relação a si mesmas, aos outros e à própria vida. Estão de bem consigo mesmas e com a vida ainda que enfrentando dificuldades. Isto parece um sonho…. mas é possível viver o amor por si mesma.

O ‘ser verdadeira consigo mesma’ é essencial para transformar a distância que nos separa de nós mesmas e que faz com que, ao invés de nos darmos amor, entrarmos em auto culpa onde nos sentimos não merecedoras do melhor da vida.

O amor próprio vem de aceitarmos nossas limitações, pois não somos perfeitas, e darmos forças a nós mesmas, por mais que estejamos frustradas. O amor próprio não é o orgulho ferido, mas sim, a razão interna que nos conduz para o melhor de nós mesmas.

Algumas dicas importantes.

– Seja verdadeira consigo mesma. Isto irá potencializar sua força interna.

– Assuma seus medos, culpas, inseguranças e transforme em força para te impulsionar ir além.

– Tenha orgulho das dificuldades que você já transformou na sua vida.

– Pratique o amor por si mesma se apoiando, se dando força e ficando do seu lado sempre.

Reconhecimento de si mesma

O reconhecimento de si mesma é um dos conteúdos que eu considerado de maior importância. Pesquisam mostram que pessoas que se auto reconhecem, são consideradas pessoas com um nível superior de inteligência emocional.

Mulheres com este perfil são as que tem grande probabilidade de estarem se realizando nas várias áreas da vida, pois ao se reconhecer conseguem desenvolver uma autoimagem e autoestima positivas, o que faz toda a diferença, pois são verdadeiras consigo mesmas, com o outro e com o todo.

Por isso é muito importante conhecer a si mesma, ir profundo para poder saber o porquê das tendências negativas que levam ao não reconhecimento de si mesma e assim conseguir romper essas barreiras que a distância do amor próprio e de sua força interna.

Algumas dicas para fortalecer o reconhecimento de si mesma:

– Seja feliz mesmo com todas as suas imperfeições.

– Pratique o amor para consigo mesma.

– Valorize seus esforços, suas iniciativas e suas conquistas.

– Pratique o positivismo. Aprenda a pensar, agir, falar de forma mais leve e positiva.

– Fique do seu lado mesmo quando você comete erros.

Ramy Arany (Walkiria Palmieri)

Assistente social, terapeuta, escritora, Coach, consultora, palestrante, autodidata, pesquisadora e desenvolvedora de conteúdos, projetos e programas voltados ao desenvolvimento humano, mas especializados no universo feminino.

@anovamulher.blog (Instagram)
@kvtfeminino (Facebook)