barra
Desde a chegada do coronavírus no Brasil, muito se fala e se questiona sobre a real necessidade do uso das máscaras como item de proteção, que por sua vez, virou um item escasso mundialmente.
Já é sabido que a prioridade da utilização das máscaras cirúrgicas é de profissionais da saúde e pessoas comprovadamente infectadas, no entanto, na última terça-feira, 31/03 o ministro da saúde Luiz Henrique Mandetta autorizou/recomendou o uso de máscaras de tecido pra população geral, quando houver necessidade de sair de casa, e pra pessoas que necessitam manter contato com o público no ambiente de trabalho. Junto com essa informação, mil dúvidas sobre a eficácia do seu uso já que temos uma falta de evidências que comprovem a eficiência desse ítem.
A máscara de tecido tende a ficar úmida com mais facilidade, o que prejudica sua eficácia. Além disso, não tem poder de filtragem, o que reduz a proteção. No entanto, o tecido reduz a eliminação de gotículas.
É muito importante que o indivíduo saiba o modo de uso e descarte corretos, assim como não se pode relaxar nos cuidados mais essenciais, como lavagem de mãos, uso de álcool gel, distanciamento e etiqueta respiratória. É imprescindível lavar muito bem as mãos antes de colocar o equipamento e depois de tirá-lo. Seu uso não invalida a orientação de manter o distanciamento entre as pessoas.
Alguns pontos na recomendação:
•    É um método de barreira. Não de proteção;
•    Deve ser confeccionada com ao menos duas camadas de tecido (ou TNT 75);
•    Uso individual;
•    Uso máximo de 2 horas;
•    Higienizar muito bem as mãos antes e depois de colocar;
•    Deixar o mais justa ao rosto possível, não permitindo aberturas na região do nariz e nas laterais;
•    Uma vez colocada, não levar mais a mão ao tecido;
•    Retirar pelo elástico. Nunca pelo tecido;
•    Lavar com água sanitária por 10 minutos para voltar a reutilizar;
•    Caso necessite realizar a troca fora de casa, desprezar a usada num saco plástico;
O intuito dessa nova recomendação é diminuir a propagação do vírus, pelas gotículas liberadas especialmente pelas pessoas assintomáticas.
Lembre-se sempre: Minha máscara protege você, assim como a sua máscara me protege.