barra

Limitar o consumo de alimentos a um período de 10 horas por dia resultou em perda ponderal e melhorou os distúrbios cardiometabólicos em mulheres com síndrome metabólica, segundo um pequeno estudo piloto.

O estudo foi publicado on-line em 05 de dezembro no periódico Cell Metabolism, pelo Dr. Michael J. Wilkinson, médico na University of California, San Diego, nos EUA, e colaboradores.

Como a maioria das mulheres tomava estatinas e/ou anti-hipertensivos ao início do estudo, “os benefícios observados da restrição alimentar se somaram aos efeitos desses medicamentos, e nessa população com alto risco de doença cardiovascular, uma redução significativa de lipídios aterogênicos, pressão arterial e glicemia somada aos efeitos do tratamento farmacológico tem implicações clínicas importantes”, afirmaram os pesquisadores.

Nesse estudo as pacientes, todas obesas com IMC médio de 33 Kg/M2, foram orientadas a se alimentar pelo período de 10 horas por dia – sem restrição calórica – e a realizar jejum por 14 horas, incluindo as horas dormidas.  Todas apresentaram perda de peso no período estudado, que foi de 12 semanas. Também houve redução significativa no colesterol total e LDL, redução da glicemia de jejum e hemoglobina glicada, bem como dos índices de pressão arterial.

As participantes também disseram aos pesquisadores que acharam mais fácil aderir ao plano de jejum intermitente do que cortar calorias ou tentar aumentar a atividade física.

Fonte: medscape

 

Dr Carlos Levischi

Médico, especialista em medicina pulmonar

Instagram: @carlos.levischi