barra

Frequentemente sou indagado no consultório pelos pais a respeito de quando colocar o filho para praticar certa atividade desportiva ou qual modalidade escolher. Nessa difícil decisão, devemos estar atentos para dois pontos principais: o primeiro, a idade e o desenvolvimento da criança; o segundo a criança como indivíduo com suas características, opiniões e seus anseios.

Idades do treinamento desportivo:

2 a 5 anos: fase de movimentos fundamentais da criança. Ela aprende capacidades físicas importantes, como coordenação, orientação espaço-temporal, equilíbrio, contato social, ritmo e diferenciação. As atividades são ligadas a maior descontração e liberdade possível, sem competição. Ela pratica esporte adaptado como brincadeira e não deve ser tratada como uma atleta.
Crianças devem se exercitar correndo, chutando, dançando, brincando com bolas de peso leve, pedalando um triciclo ou bicicleta com rodas, praticando jogos na água supervisionados.

6 a 12 anos: A coordenação e atenção melhoram. A criança também é capaz de seguir direções e entender o conceito de trabalhar em equipe. Considerar atividades organizadas com que ela se identifique. Não há preocupação com competições ou resultados. Ainda não são atletas, mas essa é a fase de maior desenvolvimento de habilidades. Capacidades físicas motoras: força, resistência e velocidade; Capacidades físicas coordenativas: diferenciação espaço-temporal, reação, noção de distância, equilíbrio, ritmo; Capacidades físicas mistas: velocidade e flexibilidade, dando suporte para que a criança aprenda técnicas esportivas e regras básicas de jogos.
Considerar atividades como natação, ginástica, futebol, tênis, bicicleta, artes marciais ou ainda videogames que incitam dança, jogos esportivos virtuais ou outros tipos de movimento.

 

Professor Dr. Miguel Akkari

Chefe da Ortopedia e Traumatologia Pediátrica Santa Casa/SP. Professor da Faculdade de Medicina Santa Casa/SP. CRM/SP 73801. (11) 2338-3609/3871-5592 linktr.ee/prof.dr.miguel.akkari