barra

Na religião judaica os dez primeiro dias do ano são intitulados como período de julgamento. Começa em Rosh Hashana e termina em Iom Kipur, ou seja, inicia no Ano Novo Judaico e encerra no Dia do Perdão. É uma época de demasiada reflexão sobre os seus atos durante o ano que passou e tomada de decisão sobre boas escolhas para o próximo ano.

Os judeus tradicionalmente observam esse feriado com um período de 24 horas sem comida e bebida, que neste ano iniciará no final da tarde de domingo (27/08) e se encerrará na segunda-feira ao anoitecer. Para a grande maioria das pessoas jejuar é uma experiência muito desagradável, no entanto se abster em Iom Kipur é único, especial e considerado um jejum feliz porque alimenta a nossa alma, traz tranquilidade para o nosso lado espiritual encobre   o incomodo de ficar sem o prazer da comida. Alguns sábios afirmam que neste dia os judeus são assemelhados a anjos que extrapolam o lado físico e estamos neste plano para um bem maior.

Em Iom Kipur existem algumas outras proibições além de comer e beber, principalmente água. Neste feriado os judeus optam por não vestir calçados de couro, evitam manter relações conjugais e procuram não usar muitos produtos de higiene e beleza. É um dia tão sagrado que as pessoas judias mais observantes cumprem a proibição de não utilizar nenhum tipo de eletrônico ou algo que gera energia elétrica.

A grande provocação das proibições citadas no parágrafo anterior é gerar uma angústia no corpo físico para dar preferência às questões da alma. Podemos definir que temos o desejo de realizar as coisas corretamente de acordo com a nossa alma e também possuímos o desejo de seguir os próprios instintos ligados diretamente ao corpo. O fundamental nesta perspectiva é propor o desafio de equilibrar os anseios do nosso corpo com a sabedoria de nossa alma.

Aqui cabe a analogia de que muitas vezes em nossas vidas, almejamos escalar uma montanha para que o mundo nos veja, no entanto o verdadeiro propósito é que nós possamos ver o mundo. Se queremos chegar ao topo dela sem apreciar a paisagem, perdemos a oportunidade de contemplar as maravilhas que a natureza nos oferece ao redor. Focar no objetivo é importante, mas desfrutar de cada passo do caminho é fundamental. A conquista de algo precioso é incrível, ainda assim a euforia de cada etapa conquistada é indescritível.

Iom Kipur é considerado o dia mais importante do calendário judaico por ser considerado um dia de renovação da nossa alma ao pedir perdão pelos atos falhos e energia positiva para os próximos passos. É aqui que se dá o marco zero onde se anula os acontecimentos anteriores e reinicia um novo ciclo com modificação de conduta pessoal através da tomada de consciência de seus próprios atos como consequência de suas responsabilidades.

Assim após termos cumprido o jejum, pensar em nossos  arrependimentos e conserto de nossos erros, D´s nos purifica e temos o mérito de receber a sua benção com os votos de GMAR CHATIMÁ TOVÁ  (TENHAMOS UMA BOA ASSINATURA NO LIVRO DA VIDA)!

 

Daniela Jarczun Fridman – Pedagoga, Psicopedagoga, Professora Particular, Professora de Educação Infantil e Ensino Fundamental 1, mãe do Ariel e Ilan.

e-mail: danijfridman@gmail.com