barra

Muito se engana quem acha que só pode ser leitora uma criança que já sabe ler. Você sabia que já podemos introduzir o hábito da leitura para os mais bebezinhos, até mesmo antes de nascerem?



Existem vários estudos sérios comprovando que, quanto antes a criança for apresentada ao hábito da leitura, mais ela se beneficiará. A leitura compartilhada ainda na primeiríssima infância (0-3 anos) proporciona aos pequenos diversos benefícios, como desenvolver a consciência fonológica, ajudar na ampliação do vocabulário, estimular a capacidade de concentração e autoexpressão, instigar a imaginação e o pensamento crítico, sensibilizar, permitir a identificação e a empatia, dentre muitos outros. Além de tudo isso, a leitura compartilhada com nosso mini leitor proporciona momentos de brincadeira, aprendizado e de muita conexão! Sabendo disso, aqui vão 7 dicas para estimularmos nossas crianças a se tornarem mini leitores:

1.    Aproprie-se da sua função de mediador(a) de leitura.

Para os pequenos leitores, a iniciativa de pegar um livro, muitas vezes, precisa vir de nós adultos. Além das nossas várias funções no dia-a-dia, podemos todos ser mediadores de leitura! A boa notícia é que não é uma função difícil de exercer e que, além de ser muito vantajosa para nossas crianças, é extremamente prazerosa para nós e para elas.

2.    Escolha livros que você ache que sua criança irá gostar – mas que você também goste!

Ao escolher um livro infantil, observe a capa, veja se o título é instigante e procure perfis literários para ler as resenhas. Bem resumidamente (porque o tema é extenso), um bom livro infantil é aquele que tem uma boa narrativa, que desperta emoções (também) no adulto e que têm ilustrações diferenciadas, que dialogam com o texto.

3.    Deixe livros à disposição da sua criança.

Se quisermos que nossos filhos tenham a iniciativa de pegar os livros para ler, é preciso que os livros estejam disponíveis a eles! Seja em um rack de livros, em cima do sofá, do rack da sala, no carro, na mala de brinquedos, na casa da vovó…espalhe livros pela sua casa, deixando-os ao alcance dos pequenos.

4.    Diversifique os gêneros da sua bibliotequinha.

Livros com narrativas pobres e ilustrações simplórias podem existir nas bibliotecas, mas não devem ser o único tipo. Por exemplo, aqueles livros de personagens de desenhos animados, inicialmente até despertam o interesse da criança, mas, na terceira vez, nós adultos já não aguentamos mais! As crianças perdem interesse rapidamente por livros pouco instigantes e o livro vira apenas um objeto descartável, esquecido no canto dos brinquedos empilhados.

5.    Convide sua criança para ler!

Sente-se no chão com sua criança, deitem na cama, sentem-se na poltrona: entregue-se ao momento da leitura. Sua criança se lembrará com carinho das memórias que vocês estão criando juntos, no momento da leitura compartilhada!

6.    Conversem sobre as leituras.

Conversar sobre as histórias e os personagens, fora do momento da leitura, é algo que podemos fazer para despertar o interessa da criança pela leitura. Há também o aspecto de conversar com as crianças que já têm uma compreensão maior sobre a história, a narrativa, os valores trazidos pelo livro…enfim, os livros infantis podem ser ótimas pontes de comunicação entre o adulto e uma criança, por menor que ela seja.

7.    Aproveite estes momentos para brincar e se conectar com sua criança!

Encontrei na literatura infantil um mundo vasto, cheio de beleza e profundidade, e fiz dos livros infantis pontes para aumentar a conexão com meu menino. Ler com uma criança é um ato de amor e eu e meu filho somos prova de que a leitura compartilhada é, acima de tudo, fonte de afeto e carinho. Caso você não tenha experimentado, te convido a viver isso também.



Mariana Freire | Advogada, mãe e mediadora de leitura oficial do Dan (2a9m), encantada no universo da literatura infantil. Idealizadora do perfil @bibiliotekinha, que pretende incentivar o hábito da leitura compartilhada entre as famílias por aí.