barra

Não temos como negar que o BBB se torna um dos assuntos mais falados, mesmo depois de mais de duas décadas.

Há os que amem, há os que odeiem, mas fingir que o que acontece lá não existe é impossível. Já fui das que amam, das que odeiam, mas sempre das que acreditam que ali é um ensaio social com muita coisa para aprendermos e refletirmos.

Pois bem, o assunto que trago para a nossa reflexão é um paralelo entre 7 características do bullying o que aconteceu com Lucas.

Enfatizo que o ato de praticar bullying é um ato repetido e pode ocorrer em vários âmbitos como físico, psicológico, social ou verbal. Seguem as 7 características:

1. Vulnerabilidade: Para que um grupo aceite praticar bullying contra uma pessoa, este mesmo grupo precisa entender que aquela pessoa não pertencente ao grupo, ou seja, há o distanciamento e até o rebaixamento do agredido pelo(s) seu(s) agressor(es). Podemos perceber que sempre existia um – preconceituoso – motivo que deixava Lucas em foco e desta forma vulnerável;
2. Mudança de comportamentos e questionamento da identidade: A pessoa que sofre este tipo de agressão em alguma esfera começa a se questionar e até a acreditar no que dizem sobre ela. Em um determinado momento Lucas chegou a afirmar: “não vou ser aceito aqui”, “tentei ser eu de várias formas”. Não importava o tanto que ele tentava, ele não era aceito;
3. Isolamento social: Por não pertencer, se isolou e foi isolado. No último suspiro encontrou um “carinho” em Gil, mas a forma que se divertiu fortaleceu sua vulnerabilidade perante o grupo. E assim, cada vez mais era alvo de “chacota” e dos “questionamentos” isolando-o ainda mais, vale lembrar do veto da prova do líder;
4. Reações físicas e psicológicas: A prática do bullying pode resultar em diversas reações físicas diferentes, desde alteração no apetite, gastrite, dores de cabeça, até alteração no sono. Além disso pode deixar sequelas para – até – uma vida inteira como insegurança, baixa autoestima, ansiedade, depressão, entre tantos outros problemas. Vimos em Lucas a insegurança através do medo da aceitação do lado externo, a tristeza e os choros constantes;
5. Desinteresse: com a saúde mental afetada, todo o resto acaba sendo afetado. Isso resulta em baixo rendimento, desinteresse, falta de atenção… se for em âmbito escolar ainda afeta diretamente a aprendizagem da criança;
6. Dificuldades: tudo isso gera muitas dificuldades desde as tomadas de decisão aos relacionamentosde curto e até longo prazo. Lucas, apesar de exposição intensa, sofreu pouco tempo e conseguiu ter coragem e lucidez em apertar o botão e pedir para sair;
7. Ajuda: A pessoa que sofre bullying precisa muito de ajuda, fragilizada fisicamente, emocionalmente e psicologicamente, muitas vezes ela não sabe como pedir ajuda ou até sente vergonha do que está passando. Pode achar que deve sair do problema sozinha, ter o sentimento de não ser merecedora de algo melhor, ou – pior – pode acreditar que é culpada por tudo aquilo que passa. Isso causa vergonha e afastamento do pedido de ajuda. Lucas conseguiu pedir para sair, pois sabia que tinha um mundo aqui fora, mas quantos não sabem de outros mundos ou não tem um botão para pedir para sair?

Um estudo realizado Koyanagi et al. (2019) aponta que o bullying é um fator de risco real para os adolescentes, ocasionando até três vezes mais a tentativa do suicídio. É muito importante que os pais estejam muito atentos a qualquer mudança de comportamento, de humores ou do estado físico da criança. Se por acaso você estiver vivenciando o bullying com alguma criança próxima, além da “parceria” com a escola e com os professores é preciso de muito diálogo, amor e um ambiente seguro para quem está sendo agredido. Devemos também saber que os agressores precisam de ajuda, mas isso é assunto para um outro momento. O importante aqui é que o tema é sério, os danos são profundos, reais e precisamos sim falar muito sobre bullying.

 

Fonte do estudo (hiperlink) https://www.jaacap.org/article/S0890-8567(19)30209-6/fulltextt

 

Deixo aqui os três livros sobre bullying se quiser por

https://www.hi88.com.br/portugu%C3%AAs/biblioteca-todos-livros/o-frio-mais-frio-que-a-neve

https://www.hi88.com.br/portugu%C3%AAs/biblioteca-todos-livros/os-irmaos-alaska-e-chuvisko

https://www.hi88.com.br/portugu%C3%AAs/biblioteca-todos-livros/-a-risada-e-a-ofensa

 

Iara Margolis | Doutora em Design Emocional, Autora – incluindo de livros infantis sobre bullying