barra

Tenho atendido muitos casos de COVID 19 e vejo como o acompanhamento após a “alta” é importante. Frequentemente temos visto que pessoas que se recuperaram do Covid 19 continuam a sentir os efeitos da doença por semanas a meses após se recuperarem. Essa condição agora está sendo chamada de síndrome pós-COVID.

Assim como o própria doença pode vir com uma variedade de sintomas, o mesmo pode acontecer com a síndrome pós-COVID. Os sintomas mais comuns que podem persistir incluem fadiga; dificuldade para respirar; dor nas articulações; dor no peito; névoa do cérebro, incluindo incapacidade de concentração e memória prejudicada; perda do olfato / paladar; problemas de sono.

De fato não temos certeza exatamente por quanto tempo esses sintomas podem persistir, mas sabemos que eles podem durar seis meses ou mais em algumas pessoas.

A síndrome pós-COVID não é exclusiva das pessoas que tiveram a forma grave da doença. Ela se apresenta também naqueles que tiveram sintomas leves.

Um estudo realizado em Roma, na Itália, mostrou que após uma media de 2 meses da doença, apenas 12% estavam totalmente assintomáticos, 53% relatavam fadiga e 43% falta de ar. Em 44% dos casos foi observado piora de qualidade de vida.

Sabemos que esses efeitos impactam na qualidade de vida das pessoa e por isso o acompanhamento pós COVID não deve terminar com o término da doença em sua fase aguda. Muitos precisam de uma reabilitação. A cada dia aprendemos mais sobre essa doença. Não descuidem!