barra

Tédio, companheiro meu de alguns dias, voz suave confundida com inadequação, mas que às vezes é atropelado pela sua prima Motivação, que pode ser tão inadequada conforme sua velocidade e voracidade!

 

Então, como é sentir este Tédio? Quando é adequado e saudável?

 

Nosso raciocínio hoje será de traz para frente! Frágil emocionalmente é aquele jovem e criança que não sente ter propósito, sem objetivos, empenho em algo que faz seus próprios olhinhos brilharem e que não conclui suas propostas, por mais simples que sejam.

 

Então, abaixo seguem 7 dicas preciosas que nós, pais e mães, precisamos assumir como postura na transmissão dos valores em busca de saúde emocional: preciosidade muitas vezes distante nos dias de hoje, infelizmente…

 

1- Orientar filhos na administração de seu tempo e de seu projeto de vida, que inicialmente, é trazida pelos seus responsáveis e, futuramente enquanto adolescente, a questionarão e reformularão conforme seus valores pessoais;

2- Instigar motivação, refletir sobre aquilo que alimenta suas vontades e dedicação, planejar, projetar;

3- Sentir-se útil na vida, ter responsabilidades, rotina;

4- Pensar na “bandeira” que defende e carrega, difundir, compartilhar, refletir;

5- Hobby, prazer, pesquisar o que alimenta sua fome e o faz sentir-se feliz;

6- Dar continuidade em seus projetos, sentir-se satisfeito com suas conclusões;

7- Aprender a estar consigo mesmo, sem vincular-se dependentemente de pessoas ou coisas.

 

Queridos, neste quadro do Tédio, a sensação de estar oco é o grande perigo que precisamos estar em alerta! Não são faltas de recursos financeiros, entretenimento que levam à pensamentos negativos e de desvalorização da vida. Ter propósitos na vida é a gasolina mantenedora da saúde emocional. E nós, pais e mães, somos este posto de abastecimento inicial que não cobra reajustes surreais!

 

Juliana Buchatsky Kruglensky

Psicóloga Clínica

(11) 99530-9034

R. Teodoro Sampaio 744, cj 88. – Pinheiros