barra

No documento da Federação Latino-Americana de Sociedades de Obesidade (FLASO) sobre a relação de obesidade e Covid-19 em nossa região, há algumas recomendações de saúde pública e individuais.

Entre as recomendações individuais: evitar ganho de peso, ser fisicamente ativo, manter acompanhamento médico (mesmo à distância) e há também a recomendação, baseada em dados indiretos que, se possível, diante do contexto de isolamento social, perdas de peso de 3-5% podem já reduzir os riscos.

obesidade

Esse dado é baseado em algumas das prováveis razões para que a obesidade torne a Covid-19 mais grave: maior resistência à insulina, que aumenta fatores de coagulação e inflamatórios e geram resposta pior; e maior acúmulo de gordura ectopico, incluindo o pulmão, que pode atrapalhar a troca gasosa. Não são as únicas causas possíveis, mas são importantes (Lockhart. Med 2020) e é sabido que basta 3% de perda para que já haja uma redução na resistência à insulina e deposição ectópica de gordura. Assim, embora a evidência seja indireta, essa foi considerada, pelo grupo de autores e pela FLASO como uma recomendação importante, de baixo risco, e grande potencial benefício.

Essa recomendação também passa uma mensagem positiva: ao invés de “quem tem obesidade tem maiores riscos”, podemos ver como “pequenas perdas podem trazer grandes benefícios”.

Lembro também que, embora a obesidade seja um fator de risco estabelecido (e mais em homens que mulheres), a idade é um fator bem maior. Num grande estudo britânico, IMC entre 30-35 estava associado com 40% maior risco de mortalidade; 35-40: 80% maior risco e acima de 40: 2-3x maior risco. Em comparação, idade acima de 60 anos aumenta em 3x o risco, >70 em 8x e >80 em 38x.

Ou seja, são fatores de risco muito diferentes e a grande maioria das pessoas com obesidade terão excelente recuperação! No entanto, pela alto índice de pessoas com #obesidade na América Latina, reconhecê-la como fator de risco e apontar formas de reduzir esse risco é fundamental!

Ref: Halpern. Obesity and Covid19 in Latin America: a tragedy of two pandemics. Obesity Reviews 2020 (acesso livre)

 

Dr. Bruno Halpern

CRM-SP 124905 Endocrinologista RQE55372

Doutor em Medicina USP

Vice-presidente World Obesity Federation pela Am.Sul

Diretor comunicação social SBEM