barra

A leitura como ferramenta no desenvolvimento infanto-juvenil é o assunto de hoje.

Hoje o que mais observamos é o uso das telas pela maioria das crianças e adolescentes. Segundo pesquisa recente, antes mesmo da pandemia, o número de brasileiros que tem o hábito de ler, chegou a dados alarmantes, com menos de 15% da população.

E de que forma isso pode impactar no desenvolvimento cognitivo, social e emocional das crianças e adolescentes? Para que possamos compreender o real impacto, precisamos conhecer os benefícios que a leitura traz para todos os indivíduos, principalmente na infância.

Na parte cognitiva, a leitura amplia o vocabulário, aumenta a capacidade de memória e o poder de concentração. Além disso, desperta a alfabetização visual, desenvolve a percepção auditiva e visual. Tudo isso proporciona uma capacidade reflexiva maior, uma vez que o sistema neurológico da criança e do adolescente está em desenvolvimento.

No que se refere as emoções e socialização, a leitura desenvolve nas crianças e adolescentes, a empatia. Pois possibilita a identificação e projeção com os personagens, desperta a curiosidade, a compreensão e nomeação de seus sentimentos, descoberta de significados e aumento da criatividade e poder imaginativo, além de ser uma ótima ferramenta para fortalecer vínculos com os pais.

Considerando os aspectos abordados, o hábito da leitura é algo que deve ser incentivado desde bebê, pois auxilia no desenvolvimento em todos os seus aspectos.

A leitura como ferramenta no desenvolvimento infanto-juvenil

Faixa Etária

Para os bebês e crianças menores é um excelente facilitador na relação pais-filhos uma vez que facilita a compreensão do temperamento de nossos filhos e suas preferências. Observe o olhar, os gestos, os sons e as expressões que a criança faz durante a leitura, isso será uma excelente oportunidade de aprendizado.

Para os maiores, desde a segunda infância até a adolescência, a leitura pode ser um intermediador dos conflitos que surgem nesse período. Ou até mesmo uma ferramenta para manejo sobre dificuldades com as próprias emoções, quando se tem dificuldade de contato sobre algum problema ou até mesmo quando não se consegue expressar o que esta acontecendo. No mundo da leitura, a imaginação e os sentimentos ficam mais acessíveis sendo possível a proximidade e intervenção.

Assim,  desenvolver essa habilidade para os pequenos, faz parte do nosso papel enquanto pais. Criem um momento de leitura juntos, estabeleçam quais livros irão ler. Capriche na sonorização (no caso de bebês e crianças), busque livros que remetam ao atual momento de seu filho. Conte sobre livros que você leu na sua infância e que te marcaram de algum jeito, e principalmente, seja o exemplo para que ele possa ser o reflexo do seu comportamento.

Gostaram de saber sobre a leitura como ferramenta no desenvolvimento infanto-juvenil?

 

Roberta Ocaña | Psicóloga Materna Infanto Juvenil | Pós Graduada em Psicologia da Infância|  Especialista em Ludoterapia|
Atendimento Presencial e Online | 11-99757-2125