barra

Oi Mamis. Semana passada contei pra vocês a primeira parte da minha viagem a Curitiba (se ainda não leu, clica aqui). Hoje vou continuar contando como foi nosso sábado. Depois do Bosque Alemão, seguimos para o Jardim Botânico, o cartão postal da cidade. Sinceramente? Fiquei decepcionada – ja fui em jardins botanicos bem mais bonitos. Além da foto principal da estufa, o outro ponto legal de lá é o jardim das sensações, um passeio sensorial de 200 metros com plantas nativas, aromáticas e medicinais. É legal de você sentir as diferentes texturas das plantas, os diferentes aromas.. tem também um pedaço explicando a reprodução, e um laguinho fofo.

De lá, fomos almoçar na Cantina do Délio, mais uma dica legal de restaurante. Nesse, não tem grandes coisas para criança – só um daqueles parquinhos de plastico do lado de fora – mas a comida é uma delicia e o preço é bom.

Seguimos para o Parque Tanguá, um dos mais conhecidos de Curitiba. Ele tem duas entradas, cada uma com seu estacionamento. O ponto mais alto é onde você vê a estrutura do parque de pertinho, e está o Jardim Francês, e alguns mirantes – é lindo ver o por do sol de lá. Antigamente tinha uma loja de suveniers e uma lanchonete, ambas desativadas. Apesar da parte de cima ser a mais famosa, eu gostei bem mais da parte debaixo, onde está um lago artificial e um caminho com um mirante onde você vê a cascata artificial que desce beirando a antiga pedreira, e a estrutura do parque debaixo. Tem uma lanchonete que está funcionando neste pedaço.

No caminho pra nossa próxima parada, passamos pela Unilivre, que já tinhamos ouvido e ficamos na dúvida se íamos ou não, e decidimos ir. O que faz da Universidade do Meio Ambiente um ponto turístico de Curitiba são o bosque com mata nativa em volta da pedreira, a passarela no túnel vegetal que desemboca frente à pedreira e espelho d´água do lago, o auditório ao ar livre e o mirante.

Saindo de lá, fomos para o café mais fofo que eu já conheci, o Kimi Café e MiniFestas. Ele é todo feito para crianças. Desde o banheiro com a pia mais linda, de lego, trocador fofo, para as mamães irem tranquilas fazerem um xixi, tem um BALANÇO dentro do banheiro – sério!, até um brinquedo giratório em formato de xícara, mesas em que as cadeiras são balanços, espaço grande para brincar, com tapete fofinho no chão, cabaninha, mini biblioteca. E tem um espaço para fazer festas. As comidinhas são gostosas e eu fiquei encantada.

No domingo não tivemos muito tempo e só deixamos uma atração para esse dia – a Ópera de Arame. A entrada custa R$10 por adulto. Ele fica no Parque das pedreiras, e é um teatro feito de tubos de aço e estruturas metálicas, coberto com placas transparentes de policarbonato, lembrando a fragilidade de uma construção em arame, por isso o nome. Lá tem o Vale da Música, um palco flutuante no lago do teatro recebe música ao vivo instrumental durante o dia. Um restaurante fica na beira do lago, e você pode tomar um drink e apreciar a musica, e a vista.

Achei Curitiba uma cidade incrível, principalmente pra curtir com crianças! Espero que tenham gostado das dicas!